fbpx
PUBLICIDADE


Luciano Huck declara novamente que não será candidato à presidência

Em nova entrevista, o apresentador de televisão ratificou que não irá participar do pleito; possibilidade foi discutida por influenciadores do ecossistema pró-liberdade

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / A Tarde)

O nome do apresentador de televisão Luciano Huck movimentou a imprensa com especulações. Ele era visto como um possível candidato à presidência da República nas eleições de 2018. Nesta quinta-feira (15), porém, em coluna da jornalista Sonia Racy, ele reafirmou que não concorrerá no pleito. [1]

“Não serei candidato, mas não quero falar mais sobre o assunto agora. Preciso digerir a decisão”, afirmou o apresentador. Até o momento, nenhum detalhe adicional acerca das razões que levaram à escolha do apresentador foi divulgado.

Na realidade, Huck já havia dito em artigo em novembro na Folha que não se candidataria, mas continuou gerando celeuma e burburinho, sobretudo após o tom aparentemente político que adotou em discurso no programa Domingão do Faustão, da TV Globo, onde trabalha.


PUBLICIDADE



Como a candidatura Huck era vista

O Movimento Brasil Livre foi uma das organizações do ecossistema pró-liberdade que se manifestaram contrárias ao projeto de uma candidatura Luciano Huck em vídeo divulgado em suas redes sociais. No filme, publicado em janeiro, o MBL atacava não apenas o apresentador, como movimentos relacionados a ele, como o “Agora!” e o RenovaBR.

Já a Revista Veja chegou a insinuar em abril uma aproximação de Huck com o Partido Novo, que hoje tem no fundador Amoêdo seu pré-candidato para a campanha. Em dezembro do ano passado, o economista Adolfo Sachsida externou sua preocupação com a possibilidade de uma vitória de Huck na eleição, que considerava grande. Outro economista, Gustavo Franco, presidente da fundação do Partido Novo, também acreditou, de acordo com entrevista concedida no último mês de outubro, que havia chance de Huck se vincular a projetos de movimentos em curso pelo Planalto.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.