fbpx
PUBLICIDADE

Relembre as propagandas do Governo Collor em favor de um Estado menor

Com o objetivo de explicar para a população a importância da desestatização, filmes publicitários compararam o Estado com um elefante que atrapalhava a vida das pessoas
Collor Propaganda
Foto: Reprodução

Durante o início da década de 1990, a administração do ex-presidente Fernando Collor iniciou uma série de reformas que prometiam a abertura econômica e o desinchaço do Estado brasileiro. Um dos grandes desafios à época, porém, era como se daria o processo de convencimento da população de que essas medidas seriam importantes para o país.

O governou tomou, então,  a decisão de lançar uma campanha de propaganda com o objetivo de divulgar a mensagem liberal. Com bom humor, os filmes exibidos na TV mostravam um elefante, simbolizando o Estado, atrapalhando a vida das pessoas ou mal posicionado em uma corrida de cavalos, em uma alusão à baixa-competitividade do país.

“Já foi importante uma forte presença do Estado na economia. Só que o Estado engordou muito em áreas não-prioritárias para você, cidadão. Ficou pesado. Com a desestatização, o Estado vai investir pesado em saúde, educação, habitação, saneamento e segurança”, anunciava o locutor.









O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama