Privatização dos Correios pode ocorrer ainda no governo Temer, diz Moreira                 Iniciativa quer revogar lei que fez de Paulo Freire 'patrono da educação brasileira'                 'Doria adotou a postura de um político tradicional', observa Amoêdo, do NOVO                 Fernando Holiday, do MBL, se manifesta sobre a decisão que permite a 'cura gay'                 Quadro de Leo Lins, no 'The Noite', debate de maneira irreverente o desarmamento                 Escola Austríaca é tema de simpósio gratuito em Belo Horizonte                 Evento no DF debaterá política, economia e cultura por um viés liberal                 Projeto 'Caos Planejado' lança concurso de artigos com prêmio em dinheiro                 MBL venceu outros movimentos populares de rua, aponta 'Estadão'                 Psicólogos devem ter liberdade para oferecerem a 'cura gay'? Vote e opine                 General admite possibilidade de intervenção militar no país e gera reações                 Brasil Paralelo lança primeiro episódio da nova série e revela origem de Portugal                 Roberto Motta diz que Kim Kataguiri é xingado na rua e já precisou de escolta                 Canal 'Quem somos nós' cria Playlist com comentários sobre a 'Nova Direita'                 Oscar Maroni quer ser presidente e defende liberdade econômica                 Spotniks anuncia que está selecionando novos redatores                 Milo Yiannopoulos replica vídeo legendado do canal Mamãe Falei                 Projeto que analisa páginas de política na Internet mapeia a direita virtual                 Marcel Van Hattem divulga nota do Ministério Público sobre caso Santander                 Arthur do Val é agredido em manifestação contra "censura do MBL"                 Diplomata Gustavo Maulstach assume direção tecnológica no PSL/Livres                 NOVO comemora dois anos de registro no TSE com vídeo institucional: assista                 Cinco sugestões de textos que vale a pena ler nesse final de semana                 Bernardo Santoro rotula notícia sobre Bolsonaro como "fake news"                 IFL de Belo Horizonte realiza 8º Fórum Liberdade e Democracia                 Empresário e palestrante famoso se junta ao PSL/Livres em eventos no Rio                 NOVO abre até outubro segundo processo seletivo para candidatos em 2018                 Doria defende abertamente privatização da Petrobras e fusão da Caixa com o BB                 Ouça o direito de resposta do MBL em rádio após ataque agressivo de locutor                 Os desafios para candidatos liberais nas eleições, por Priscila Chammas



Movimentos monarquistas se manifestam na rede após a nova crise

Publicação da página “Pró-Monarquia” compara idoneidade moral da Família Imperial com o dos líderes políticos da república; Movimento Brasil Real conclama brasileiros a se manifestarem

- Publicado no dia

Grupos, páginas, movimentos e entusiastas pela restauração do regime monárquico no Brasil veem na mais recente crise da república uma oportunidade histórica de transformação. Desde a divulgação da existência de um áudio comprometendo o presidente Michel Temer, diversas publicações foram feitas nas redes sociais, boa parte delas gerando milhares de compartilhamentos.

A página oficial da Casa Imperial, organização dirigida pelos descendentes de D. Pedro II que reivindicam o direito ao trono, publicou ontem (18) uma imagem com referência aos membros da Família Imperial: “Nunca foram citados, nunca foram denunciados, nunca fizeram caixa dois, não têm conta na Suíça, não têm sítio ou triplex secretos, não culpam os mortos. Família Imperial do Brasil – Nesse antro de corrupção, a única com moral para dar novo rumo ao país”. Quase dois mil usuários compartilharam a publicação.

Foto: Divulgação
Foto: Reprodução / Facebook

A página Causa Imperial no Facebook, por sua vez, também aproveitou a crise de Temer para ironizar a qualidade da república. Uma das publicações mais bem sucedidas e também publicada ontem (18) foi um “meme” com a fotografia de D. Pedro II, seguido da irônica legenda: “E a república? Vai bem?”.

Foto: Reprodução / Facebook
Foto: Reprodução / Facebook

O Movimento Brasil Real, liderado por Pedro Alberto de Orleans e Bragança e presente nas recentes manifestações a favor da Operação Lava Jato, também se manifestou. Em vídeo, Pedro Alberto, em tom inconformado, disse estar “revoltado e cansado” e que chegou a hora de o movimento “tomar as rédeas do país”. Ele conclamou o povo a ir às ruas para lutar para ter “alguém que defenda o povo brasileiro e, em um momento de crise como esse, possa tomar a conta da nação”.

“Está cada vez mais evidente que a república brasileira, do jeito que ela anda, não funciona. Não tem mais o que fazer. Ela precisa de uma mudança total e completa. […] Está na hora do Movimento Brasil Real, juntamente com outros movimentos monárquicos, partir pra cima e se apresentar como uma solução. Porque nós somos uma solução para esse país”, completou.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também
Close