fbpx

Cotas para mulheres em conselhos e estatais tramita em urgência

Tabata Amaral aprova urgência de projeto que estabelece cotas para mulheres
A urgência do texto foi aprovada na Câmara dos Deputados por 285 votos

O projeto que estabelece a reserva obrigatória mínima de 30% de vagas para mulheres em organizações passa a tramitar em caráter de urgência. A Câmara aprovou a urgência do PL 1246/21, nesta terça-feira (8). As cotas valem para conselhos, companhias abertas e estatais, sociedades de economia mista ou outras empresas da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

A votação do projeto de Tabata Amaral (PSB/SP) teve 285 votos favoráveis, 95 contrários e uma abstenção. A matéria determina ainda que dentro das vagas reservadas às mulheres, pelo menos 15% serão destinadas a pessoas negras; lésbicas, bissexuais, transexuais ou intersexuais (LBTI); e com deficiência. O reconhecimento como mulher, negra ou LBTI será feito por autodeclaração.

Leia também:  LOLA Brasil marca presença na LibertyCon

“Esse projeto traz na sua essência a questão das cotas. A cota não resolve problema. Nós não gostamos de fingir que mulher é café com leite. A gente tem que brigar por oportunidade. A gente não acha que reservando vaga e muitas vezes tirando vagas de pessoas muito mais interessadas, mais qualificadas isso vai resolver o problema que é estrutural”, destaca a deputada federal Adriana Ventura (NOVO/SP).

Compartilhe essa notícia:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?