fbpx
PUBLICIDADE

Belo Horizonte: O liberal deve votar em qual candidato a vereador?

Boletim da Liberdade selecionou candidatos a vereador de diferentes partidos e com uma agenda em comum pró-liberdade e perguntou opiniões, propostas e visões para a cidade e para a política
Cris Kumaira (NOVO), Gabriel Azevedo (Patriota), Marcela Ricardo (NOVO) e Marcela Trópia (NOVO). (Fotos: Divulgação)
Cris Kumaira (NOVO), Gabriel Azevedo (Patriota), Marcela Ricardo (NOVO) e Marcela Trópia (NOVO). (Fotos: Divulgação)
PUBLICIDADE

Boletim da Liberdade encerra nesta quarta-feira (4) a sequência de entrevistas com candidatos a vereadores de viés liberal das principais praças do país. Após Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, o fechamento do projeto é com candidatos a vereador de Belo Horizonte.

PUBLICIDADE

Ao todo, foram selecionados  cinco candidatos: Cris Kumaira (NOVO), Gabriel Azevedo (Patriota), Marcela Ricardo (NOVO), Marcela Trópia (NOVO) e Nikolas Ferreira (PRTB). Nikolas Ferreira foi o único candidato a não enviar as respostas das perguntas no prazo combinado.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra:

PUBLICIDADE

Boletim da Liberdade: Qual é o principal problema de Belo Horizonte?

Cris Kumaira (NOVO – 30.044):  Acredito que BH, assim como as grandes metrópoles brasileiras, tem sérios problemas de mobilidade urbana, má gestão na saúde e educação pública, além de ser hoje uma cidade com um número crescente de moradores em situação de rua.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): A qualidade da educação regrediu pela primeira vez em 10 anos segundo o IDEB. É preciso atuar nesse sentido. Metade das escolas não tem plano pedagógico. A pandemia mantém os estabelecimentos fechados com consequências ruins para a cidade. É preciso fiscalizar o Executivo para reverter tal quadro.

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): A PBH causou estrago econômico com perda de 80 mil empregos nesta pandemia com um discurso “Vidas x Economia” ao invés de trabalhar em prol de ambos.  É urgente medidas como a revisão no plano diretor, simplificação da legislação, redução e parcelamentos de tributos para atrair investimentos em BH.

Marcela Trópia (NOVO- 30.400): Hoje o que mais prejudica Belo Horizonte é o excesso de burocracia, que impede a abertura de novos negócios, trava a geração de emprego e renda e atrapalha a vida de todo cidadão que precisa de algum serviço público. Todos os setores são prejudicados, das startups às cooperativas de coleta seletiva. 

Boletim da Liberdade: Seu mandato priorizará quais temas?

Cris Kumaira (NOVO – 30044): Diálogo e transparência com setor público e sociedade; reduzir verbas de gabinete na Câmara; incentivo às PPPs e parcerias com terceiro setor; fiscalização qualificada na Educação e Saúde; simplificação do ambiente de negócios; incentivo à consolidação de BH como polo de economia criativa.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): Me comprometo com uma ideia síntese (ferramenta de fiscalização dos recursos públicos com participação da sociedade) e cinco eixos (educação, desenvolvimento econômico, desenvolvimento social, mandato compartilhado, mobilidade). Todas as propostas podem ser encontradas no site gabrielazevedo.com.

PUBLICIDADE

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): Geração de emprego e renda, priorização da educação na primeira infância, gestão eficiente (coordenei o primeiro gabinete parlamentar do Brasil com remuneração baseada em resultados), corte de privilégios e foco na fiscalização, função importante para a melhoria contínua dos programas da Prefeitura.

Marcela Trópia (NOVO – 30.400): Tenho propostas para quatro eixos: liberdade para empreender e trabalhar; Câmara de Vereadores mais barata e eficiente; inovação e liberdade da mobilidade urbana; educação para formar líderes. As propostas envolvem fiscalização, desburocratização e ampliação de parcerias com a iniciativa privada.

Belo Horizonte (Foto: Rodrigo Lima/Monitoramento-Ministério do Esporte)

Boletim da Liberdade: Como você se classifica ideologicamente?

Cris Kumaira (NOVO – 30.044): Sou uma liberal.Não me identifico com posições extremistas, nem de direita e nem de esquerda.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): Sou um social-liberal.

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): Desde que tive a oportunidade de fazer um intercâmbio aos Estados Unidos, me tornei uma liberal por inteiro. O indivíduo, além de ser o verdadeiro gerador de riquezas, é a menor minoria. Defender o indivíduo é defender a educação, a saúde, a geração de emprego e renda e os direitos individuais.

PUBLICIDADE

Marcela Trópia (NOVO – 30.400): Costumo me definir como liberal por inteiro, defendendo a liberdade nos seus mais diversos sentidos. Acredito na redução cada vez maior da interferência do Estado na vida dos indivíduos e entendo que esse processo será gradual.

Boletim da Liberdade: Qual é a sua avaliação sobre o governo Jair Bolsonaro?

Cris Kumaira (NOVO – 30.044): O Partido Novo tem uma postura de independência. Nossos deputados federais apoiam e votam a favor de muitas propostas do governo federal. Acredito que o governo Jair Bolsonaro tenha avançado em relação a muitas pautas importantes.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): Acerta em pontos como a infraestrutura e política macroeconômica (com ressalvas). Falha ao não acelerar privatizações e reformas. Há pontos importantes como a liberdade sexual e a de imprensa que não recebem o tratamento devido do presidente. Não se assemelha a outros governos liberais do planeta.

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): Apoio as privatizações, as reformas e tudo aquilo que é melhor para o Brasil. Discordo da não redução do número de ministérios para 15 como prometido em campanha, por exemplo. Vou continuar apoiando as propostas que acredito e criticando as ações que vão contra o Brasil, independente do governo.

PUBLICIDADE

Marcela Trópia (NOVO – 30.400): Eleito com promessas liberais, até então conseguiu concretizar aprovação da Lei da Liberdade Econômica e da (tímida) reforma da Previdência. Caminhamos a passos lentos. Só agora a reforma administrativa tem sido debatida e a tributária não foi liberal quanto gostaríamos. Precisa focar no essencial.

Câmara Municipal de Belo Horizonte (Foto: Talk2lurch / Wikimedia)

Boletim da Liberdade: Como você pretende defender a liberdade na Câmara Municipal?

Cris Kumaira (NOVO – 30.044):  Defenderei a liberdade como sempre defendi em todos os locais em que passei na minha trajetória profissional, em mais de 20 anos, tanto na iniciativa privada como no setor público. Acredito e defendo a democracia e a liberdade. Liberdade de expressão, religiosa, individual, de consciência.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): Da mesma forma que tenho feito nos quatro anos no atual mandato. Tenho um compromisso com um documento formatado pelo movimento Livres, do qual sou membro. Ao utilizá-lo como norte de atuação, a liberdade em Belo Horizonte encontra em mim um aliado.

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): Vou trabalhar pela revogação e não aprovação de leis inúteis e que impedem a liberdade em BH, como a lei que proibia os restaurantes de disponibilizar sal nas mesas. As pessoas devem ser livres para escolher o que julgam ser o melhor para suas vidas, desde que não prejudiquem o outro.

PUBLICIDADE

Marcela Trópia (NOVO – 30.400): Liberdade é um dos valores da campanha e do mandato. Tenho o compromisso de sempre votar contra o aumento de imposto e de burocracia, defender a liberdade econômica e individual, além de trabalhar para simplificar o ambiente de negócios da cidade e combater qualquer regulação predatória de mercado.

Boletim da Liberdade: Por que você acredita que deve ser a escolha dos liberais na sua cidade?

Cris Kumaira (NOVO – 30044): Porque me identifico com o DNA do Partido Novo, um partido de pessoas sérias, ficha limpa e comprometidas com o uso do dinheiro público. Precisamos de menos Estado e mais investimento e gestão nas áreas de educação, saúde e segurança. Defendo a economia de mercado, o empreendedorismo e o diálogo.

Gabriel Azevedo (Patriota – 51.051): Eleito, serei um vereador democrático, preparado e transparente, características sem as quais o liberalismo tem poucas chances de prosperar. Quem viu minha atuação no atual mandato pode testemunhar que fiz mesmo da liberdade um outro nome para Minas Gerais e sua capital. Assim vai continuar.

Marcela Ricardo (NOVO – 30.700): Tenho experiência na iniciativa privada e na gestão pública como chefe de gabinete da dep. Laura Serrano, primeiro gabinete parlamentar com remuneração baseada em resultados. Atuarei pela liberdade com responsabilidade tanto na economia e nos costumes, por BH mais livre para empreender e viver.    

Marcela Trópia (NOVO – 30.400): Nossos compromissos são evidentemente liberais e concretos. Tenho histórico de dedicação ao movimento liberal, coordenando o Livres em MG, a campanha do deputado federal Tiago Mitraud,  tendo atuado no gabinete do deputado estadual Guilherme da Cunha e sendo a candidata com selo do Ideias Radicais.


Por Evellyn Lima

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?