fbpx
PUBLICIDADE

Radialista corta microfone e ofende deputado liberal do Partido Novo

Fabio Ostermann participava de programa da Rádio Bandeirantes do Rio Grande do Sul quando foi ofendido após criticar a atual política de repressão das drogas; em nota, Livres lamentou conduta do âncora
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Se você for convidado para um programa na Rádio Banderantes de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, é bom pensar bem nas palavras a serem ditas. É que, a julgar por um programa exibido na última quinta-feira (12) na emissora com a participação do deputado estadual Fabio Ostermann (NOVO/RS), determinados posicionamentos podem ser censurados ao vivo e até mesmo virarem motivo para os jornalistas da empresa te ofenderem. [1]

PUBLICIDADE

Os ânimos ficaram acirrados a partir do momento em que o parlamentar criticou a atual política de repressão às drogas, mas sempre salientando que isso não significa a defesa ou o estímulo do uso dos entorpecentes.

O radialista Milton Cardoso, que comandava o programa “Bastidores do Poder”, ficou irritado com o posicionamento de Ostermann – que era convidado da atração – e pediu que o microfone do deputado fosse cortado.

PUBLICIDADE

Leia também:  Em nota, mandatários do NOVO celebram encontro em Joinville

“Tu não tem (sic) responsabilidade. Defendendo drogas nos dias de hoje. Tu não tem experiência nenhuma de vida. Tu é um coitado, um imbecil e com mandato”, disse o jornalista. Fabio deixou o programa na sequência, classificando a atitude como “extremamente autoritária”.

Após o episódio, Ostermann afirmou nas redes que é “inaceitável que um apresentador agrida e censure seus convidados” e que “quem defende a liberdade de imprensa e de expressão, repudia posturas autoritárias como essa”.

Sobre o posicionamento externalizado na entrevista, o parlamentar do NOVO reforçou que acredita que a “guerra às drogas” fracassou.

Reações

PUBLICIDADE

O movimento Livres, nas redes sociais, emitiu uma nota de repúdio à situação que Ostermann sofreu.

“Fábio teve seu microfone cortado pelo simples fato de defender a legalização das drogas e as ideias de liberdade, de forma educada, racional e serena A liberdade de imprensa é um pilar fundamental da democracia, alicerçado no princípio da liberdade de expressão e da pluralidade de ideias. Esperamos que a Rádio Band RS não compactue com a falta de profissionalismo e o autoritarismo demonstrado por seu âncora neste episódio”, disse a entidade. [2]

Leia também:  Associação liberal auxiliou centenas de brasileiros a não se alistarem
(Foto: Reprodução / Opinião Livre)

Roberto Rachewsky, ex-presidente do Instituto de Estudos Empresariais (IEE) e um dos mais conhecidos liberais do Rio Grande do Sul, também se manifestou sobre o tema. Segundo ele, a cena foi uma “das mais lamentáveis do jornalismo gaúcho”.

“O mediador do programa deixa de lado qualquer grau de civilidade e ataca pessoalmente um convidado, o deputado estadual Fábio Ostermann, para defender suas posições reacionárias. Me solidarizo totalmente com o Fábio e lamento que haja jornalistas que cassam a palavra dos seus convidados cortando o microfone para que seus ouvintes não possam ter acesso a uma opinião com a qual ele discorda”, escreveu. [3]

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?