fbpx
PUBLICIDADE


Após imagens, polícia conclui não ter havido homofobia contra ativista, diz site

Globo entrevistou a delegada do caso, que adiantou também que foi colhido depoimento de funcionário do quiosque; agora, Karol Eller e namorada poderão responder por denunciação caluniosa

- Publicado no dia
Foto: Reprodução

Polícia Civil do Rio de Janeiro descartou, segundo divulgado pelo G1 e pela TV Globo, a hipótese de homofobia no episódio de agressão que envolveu a ativista Karol Eller no último domingo (15). A conclusão surgiu após análise de câmeras de segurança do quiosque em que ocorreu a confusão e depoimento de um funcionário do estabelecimento. [1]

Segundo os investidores, a briga e as agressões teriam surgido em decorrência de briga de rua que poderiam ter sido causada por ciúme. Nas imagens até agora divulgadas e sem áudio, Eller aparece alterada e brigando com outras pessoas.


PUBLICIDADE



No depoimento dado à polícia, o funcionário do quiosque afirmou que Karol mexia em uma arma de fogo e o agressor, antes da confusão, havia pedido para que ela largasse o artefato. Karol Eller também teria agredido a namorada, segundo o depoente, no meio da briga.

A defesa de Karol Eller afirmou ao G1 que “não houve agressão mútua” e que as imagens do rosto deformado de Karol “falam por si”.

O caso ganhou ampla repercussão porque Eller é uma das influenciadoras digitais que mais apoiaram a família Bolsonaro antes e durante a campanha, e – mesmo lésbica – é crítica ao suposto vitimismo da comunidade LGBT. Recentemente, a influenciadora também foi nomeada para trabalhar na sede da EBC, no Rio de Janeiro.

Agora, segundo a delegada Adriana Belém, a influenciadora e a namorada poderão responder por denunciação caluniosa.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.