fbpx
PUBLICIDADE


Felipe Neto critica liberalismo na América Latina e leva invertida de internautas

Grupos e ativistas rebateram declarações críticas de Felipe Neto ao liberalismo na América Latina e até mesmo à suposta ‘ruína’ do ideário; influenciador falou do tema ao comentar sobre eleições argentinas

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/YouTube

O youtuber Felipe Neto publicou no último domingo (27) um conjunto de comentários sobre o resultado das eleições argentinas para, ao fim, criticar o que compreende de liberalismo. Parte dos internautas, no entanto, rebateu as informações do influenciador, um dos mais populares das redes sociais.

Com 9,7 milhões de seguidores, Neto escreveu, inicialmente, que Maurício Macri não havia feito um governo liberal no âmbito econômico – ou, em suas palavras, “neoliberal” – e que, portanto, o posicionamento do presidente argentino seria muito mais no discurso. “Que liberalismo é esse que congela preços, mantém estatais e aumenta servidores e aposentados?”, perguntou. [1]


PUBLICIDADE



Embora a avaliação inicial fosse correta, o youtuber a complementou opinando que “se [Macri] tivesse feito [um governo liberal] teria sido ainda pior”. [2]

“Macri não implementou as medidas liberais que queria porque, ao chegar ao poder, viu o caos que a Argentina se tornaria se ele fizesse o que tinha prometido. A situação tendia para o terror absoluto, por isso deu pra trás”, avaliou, concluindo que “liberalismo na América Latina é insanidade“.

Em outro momento, o influenciador associou Bolsonaro, Trump e a situação do Chile e vaticinou: “o liberalismo vai ruindo”. [3]

Reações

Um dos fundadores do site Spotniks e com 42,4 mil seguidores acumulados, Rodrigo da Silva sugeriu hipocrisia do youtuber ao criticar o liberalismo na América Latina.

“Disse o sujeito latino-americano que fatura milhões, lucra num mercado desregulado, paga menos impostos que os mais pobres, anda com segurança privado, mora numa mansão e ostenta riqueza. Liberalismo para mim, antiliberalismo para outros”, debochou, recebendo mais de 4 mil curtidas. [4]

Quem também se manifestou criticamente à fala do youtuber foi o Instituto Liberal Paulista (ILISP), que se concentrou na fala de Felipe Neto ao associar as manifestações populares no Chile ao ruir do liberalismo.

“O Chile como está: maior PIB per capita, menor pobreza, baixo desemprego e um dos maiores salários médios da América Latina. A Argentina como ficará após 180 dias de congelamento de preços e aumento do salário mínimo: busque por Sarney no YouTube”, comentou. [5]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.