fbpx
PUBLICIDADE


Liberais celebram aprovação do texto-base da MP da Liberdade Econômica

Com 345 votos favoráveis, Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (13) o texto base da Medida Provisória do presidente Bolsonaro que trata da Declaração de Direitos da Liberdade Econômica

- Publicado no dia
(Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (13) o texto principal da MP 881/2019, da Liberdade Econômica. Para facilitar a aprovação do texto, foi aprovada uma emenda aglutinativa apresentada pelo relator da matéria, deputado Jerônimo Georgen (PP/RS), que retira pontos aprovados na comissão mista considerados inconstitucionais. O texto-base contou com 345 votos a favor, 76 contras e uma abstenção. Nesta quarta (14) serão votados os destaques da medida.

A versão aprovada, porém, já libera pessoas físicas e empresas para desenvolver negócios considerados de baixo risco, que poderão contar com dispensa total de atos como licenças, autorizações, inscrições, registros ou alvarás. O relator também inseriu na proposta temas como a instituição da carteira de trabalho digital; agilidade na abertura e fechamento de empresas e a substituição dos sistemas de Escrituração Digital de Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). Após terminada a votação na Câmara, a MP será votada no Senado.

Reações

Um dos fundadores do Instituto de Estudos Empresariais (IEE) e figura histórica do meio liberal, Roberto Rachewsky celebrou a aprovação e afirmou que “o Brasil namora com a liberdade pela primeira vez”. O deputado federal Paulo Ganime (NOVO/RJ), por sua vez, comemorou afirmando que, agora, haverá “liberdade para o empreendedorismo e liberdade para o Brasil voltar a crescer”.


PUBLICIDADE



“Esse tema vai na mesma linha [da reforma da Previdência], que é de fazer o desenvolvimento econômico do país seja uma nova realidade, realidade que a gente não enfrenta há muitos anos. Vivemos pelo menos cinco anos de recessão e precisamos ter mais liberdade para as pessoas poderem empreender, mais liberdade para as pessoas poderem trabalhar, mais liberdade para o brasileiro de bem que quer dedicar seu tempo, capital e vida para o empreendedorismo e para gerar empregos”, disse Ganime, na tribuna.

Ex-candidato à presidência da República e presidente do Partido Novo, João Amoêdo parabenizou no Twitter os parlamentares que votaram favoráveis ao projeto “por um Brasil com mais empregos e oportunidades”.

“Todos os países que se desenvolveram criaram ambientes fáceis de trabalhar e empreender. A MP da Liberdade Econômica ajuda a colocar o Brasil neste caminho. O NOVO seguirá defendendo pautas fundamentais para termos o Brasil que merecemos”, disse.

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP), por sua vez, criticou parlamentares que afirmaram que a votação foi uma surpresa e salientou, pouco antes da votação, que o texto já vinha sendo discutido faz um tempo. Ele também criticou o discurso dos partidos de esquerda de irem contra o projeto.

“Escutei aqui que essa Medida Provisória seria a MP da escravidão. Então eu me pergunto o que há de escravidão em simplesmente liberar atividades de baixo risco, de permitir que o empreendedor, o pequeno empreendedor, que vai sustentar a família com dignidade, de deixar de precisar de pedir permissão do governo, do Estado, para trabalhar. E pior: ainda disseram que o trabalhador seria obrigado a trabalhar no domingo. Eu renuncio o meu mandato se me mostrarem o artigo que disser que o trabalhador será obrigado a trabalhar aos domingos e ainda me filio ao PT”, ironizou.

Com informações da Agência Brasil

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.