fbpx
PUBLICIDADE

NOVO divulga nota após ter vereador do partido ameaçado de morte

Em áudios vazados aos quais a Rede Globo teve acesso, um colega de Mateus Simões teria criticado o vereador do Partido Novo por uma denúncia feita contra ele e, na sequência, dado a entender que poderia mata-lo
Foto: Reprodução/YouTube
PUBLICIDADE

O Partido Novo divulgou no início da tarde deste sábado (10) uma nota sobre os áudios vazados que conteriam uma ameaça de morte ao vereador Mateus Simões, de Belo Horizonte. As denúncias vieram à tona na noite da última sexta-feira (9) pelo telejornal local da Rede Globo. [1]

PUBLICIDADE

Em áudios em que a emissora teve acesso atribuídos ao vereador Wellington Magalhães (DC), colega de Simões na Câmara Municipal de BH, o parlamentar é citado em um desabafo e, na sequência, Magalhães afirma que “por isso que um cara chega e morre por causa disso”.

Tratava-se de uma crítica ao fato de o vereador do NOVO ter procurado o Ministério Público para formalizar uma denúncia contra o colega. Magalhães já havia sido denunciado tanto pelo Ministério Público quanto por Simões. Os parlamentares já chegaram a debater na Câmara Municipal.

PUBLICIDADE

Em outro áudio vazado, Magalhães (DC) chega a, sem mencionar Simões, aventar a possibilidade de, caso tivesse um revólver, “pegar um revólver, entrar dentro do gabinete [sem especificar] e metralhar”. “Vou preso, agora [se] eu vou preso, eu vou satisfeito”, disse.

Em declaração à Globo, o vereador do Novo salientou a “agressividade” e o “tom de raiva” nos áudios e que recebeu orientações da Procuradoria para ter “cuidado, cautela e aceitasse a proteção policial necessária”. Segundo a emissora, a defesa de Wellington Magalhães não reconhece os áudios.

Nota do NOVO

Em nota, o Partido Novo afirmou que “repudia uma ameaça tão grave e absolutamente inaceitável no Estado de Direito” e que tomará “todas as medidas necessárias para que o vereador Wellington seja devidamente punido por estas graves ameaças”.

PUBLICIDADE

“Wellington Magalhães é suspeito de liderar uma organização que fraudava licitações de publicidade da Câmara Municipal e pode ter desviado cerca de R$ 30 milhões. Diante destas acusações, nosso vereador pediu a cassação de Wellington. O NOVO gostaria de prestar solidariedade com as duas vítimas desta ameaça e seus familiares. Em especial ao nosso vereador Mateus, que tem realizado um trabalho impecável e alinhado aos princípios e valores do NOVO”, afirma o texto do partido.

Mateus Simões tem 38 anos e foi eleito para seu primeiro mandato em 2016 com 5.522 votos. Foi o primeiro político eleito pelo Partido Novo em Minas Gerais.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama