fbpx
PUBLICIDADE


Bene Barbosa diz que ‘tudo indica’ que decreto sobre porte de armas cairá

Medida do presidente Jair Bolsonaro aumentou a quantidade de categorias profissionais com direito ao porte, mas enfrentou revés na CCJ com vitória do relatório que defende suspensão do decreto

- Publicado no dia
Nos Estados Unidos, existem estados que permitem que os cidadãos carreguem suas armas ostensivamente nas ruas: o chamado Open Carry Law. (Foto: Revista Brasilianas)

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (12) o projeto que pretende suspender o decreto sobre porte de armas de fogo do presidente Jair Bolsonaro. Assinado no início de maio, a medida facilita a circulação de armas nas ruas para inúmeras categorias profissionais. [1]

Na CCJ, 15 senadores votaram favoráveis ao relatório que derruba o decreto – entre eles, Renan Calheiros (MDB/AL), Cid Gomes (PDT/CE), Antonio Anastasia (PSDB) e Humberto Costa (PT). Agora, será apreciado no plenário do Senado Federal, onde pode enfrentar outra vez um revés. [2]


PUBLICIDADE



No Twitter, Bene Barbosa, especialista em segunda pública conhecido pela sua posição pró-armas, classificou a votação como uma “derrota” e explicou que, caso aprovado no Senado, será apreciado pela Câmara.

“Tudo indica que perderemos no Senado e na Câmara. Nesse ínterim ainda poderemos ter o posicionamento do STF. Fogo serrado. Guerra desigual”, disse. [3]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.