PUBLICIDADE


Prefeito de São Paulo aumenta burocracia para motoristas de aplicativos

Prefeito que assumiu São Paulo quando João Doria se afastou para assumir o estado assinou decreto que impõe regulamentações a motoristas de aplicativos como o Uber

- Publicado no dia
Bruno Covas (Foto: Leon Rodrigues / Fotos públicas)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, defendeu nesta sexta-feira (4) um decreto sobre motoristas de aplicativos de transportes assinado naquela data. O decreto impõe regulamentações adicionais a esse tipo de serviço.

Segundo Bruno Covas, espalhou-se nas mídias sociais a informação de que a cidade restringiria o número de motoristas, mas ele se apressou em dizer que isso não é verdade. “O que o decreto traz nada mais é do que as normas já previstas na legislação federal, que não haviam sido aplicadas ainda na cidade de São Paulo, e as regras que já haviam sido tratadas num decreto e numa resolução de 2016, final ainda da gestão Fernando Haddad”, afirmou.

Segundo Covas, o objetivo é oferecer tranquilidade ao usuário. “Tenho certeza de que com esse decreto nós vamos ainda melhorar a prestação do serviço, garantindo a concorrência, garantindo que os aplicativos e os taxistas possam trabalhar, possam competir, para que a gente possa ter cada vez mais um serviço de qualidade”, asseverou.

O decreto exige que os motoristas sejam cadastrados na Prefeitura, façam curso de condutor e apresentem atestado de antecedentes criminais, usando veículos que podem ter, no máximo, oito anos de fabricação, com nome e foto do condutor. Uma polêmica similar sobre regulações de motoristas de aplicativos ocorreu na gestão de João Doria, hoje governador, o que provocou atritos com o Movimento Brasil Livre na época. Confira o vídeo do prefeito:


PUBLICIDADE





Confira também:




Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.