SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     YOUTUBE



‘Boa parte da mídia começou a abraçar agendas: o que é dela, favoreço; o que é contra, escondo’, explica Sachsida

Em entrevista ao Boletim da Liberdade, o pesquisador Adolfo Sachsida se aprofundou sobre o fenômeno das Hidden News, que se constitui de assuntos e pessoas deliberadamente ignorados pela imprensa tradicional

- Publicado no dia
Adolfo Sachsida é pesquisador do IPEA, doutor em economia e advogado (Foto: Andre Dusek/Estadão)

O doutor em economia e advogado Adolfo Sachsida se aprofundou em rápida entrevista ao Boletim da Liberdade um pouco mais sobre o fenômeno das Hidden News, que havia introduzido originalmente em artigo publicado no Instituto Liberal.

No texto do IL, Sachsida defendeu que tão perigosas quanto as notícias falsas – também conhecidas como fake news – são as notícias escondidas (ou hidden news), em que grupos de comunicação decidem, deliberadamente, ignorar assuntos relevantes de seu noticiário.

O tema ganha ainda mais importância pois, após assumir apoio ao pré-candidato à presidência da república Flavio Rocha, o MBL tornou-se alvo de ataques constantes de veículos de comunicação tradicionais. Apenas nesta sexta-feira (23), o grupo foi alvo de publicações do jornal O Globo e da nova edição da revista Veja, que buscam associá-lo à disseminação de fake news por ter dado repercussão a um comentário de uma desembargadora sobre Marielle Franco.

Boletim da Liberdade: As Hidden News são cometidas mais pela imprensa tradicional?

Adolfo Sachsida: As Hidden News são mais cometidas pela imprensa tradicional porque ela que costuma ser a principal fonte de informação das pessoas. Então, por exemplo, você pega lá aquela mídia tradicional e é lá que você espera ouvir matérias sobre Olavo de Carvalho, sobre a campanha de Jair Bolsonaro, sobre temas de pessoas que pensam de maneira diferente sobre o aquecimento global. Ora, quando você não encontra essas informações na mídia tradicional, aí você que você vai procurar a mídia alternativa. Então me parece que o fenômeno das Hidden News é muito mais severo na mídia tradicional.


PUBLICIDADE


Boletim da Liberdade: Há algum grupo/veículo de comunicação que, mais pesadamente, esconde notícias de seu público?

Adolfo Sachsida: Eu acredito que os veículos que mais escondem informação do grande público – e “escondem” entre aspas, porque evitam falar, procuram deixar a pessoa no completo esquecimento – são de grandes grupos de mídia. Imagina: sai o nome do Olavo de Carvalho no Jornal Nacional, todo mundo ouve. Nessas mídias que têm grande acesso à população que as Hidden News são mais pesadas. Porque se sai alguma informação, por exemplo, no Jornal Nacional, na Folha de S. Paulo, sobre grandes nomes como – de novo – o do filósofo Olavo de Carvalho, rapidamente as pessoas vão atrás procurar. Então me parece que quanto mais importante for a mídia, mais severo é o controle das Hidden News.

Boletim da Liberdade: Por que, na sua opinião, um veículo/grupo de comunicação age para esconder assuntos que deveriam ser noticiados?

Adolfo Sachsida: Boa parte da mídia começou a abraçar agendas. Quando você abraça uma agenda, você passa a ter preferência por um local de mundo. Então você começa: o que é da minha agenda, eu favoreço; o que é contra, eu escondo. Me parece que a questão da mídia é essa: parte da mídia abraçou uma agenda progressista, uma agenda de esquerda. E aí tudo aquilo que vai contra essa visão de mundo ela procura deixar de lado.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail




Leia também