fbpx

Rachewsky comenta tese contrária à liberação das drogas: ‘falácia simplória’

Objetivista gaúcho, fundador do IEE, se manifestou na discussão a respeito da liberação das drogas e segurança pública, motivada pelo comentário do deputado Jean Wyllys
(Foto: Reprodução / Facebook)

Depois de noticiar que o deputado Jean Wyllys se manifestou contra a intervenção federal na segurança pública do Rio, alegando que a legalização das drogas seria mais eficaz, o Boletim publicou nesta quinta-feira (22) uma manifestação do ativista de segurança pública Roberto Motta, ligado ao Movimento Brasil Livre, contestando os argumentos do parlamentar. Nesta sexta-feira (23), o objetivista gaúcho Roberto Rachewsky, fundador do Instituto de Estudos Empresariais, decidiu defender a importância e a moralidade de uma liberação das drogas.

Para ele, a ideia de que a liberação das drogas estimularia os criminosos “a praticar outros crimes como sequestro ou assalto a bancos” ser usada como argumento contra essa liberação “se vale de uma falácia simplória”.  Para ele, é imoral a comparação entre um “crime sem vítimas” – no caso, a comercialização de algo sem coerção, numa troca voluntária – com agressões como o assalto e o sequestro.

Confira na íntegra as reflexões de Rachewsky:

[wp_ad_camp_1]

[wp_ad_camp_3]

Compartilhe essa notícia:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?