Panorama #30 - Em resolução, PT declara que críticas ao governo devem se centrar na agenda 'ultraneoliberal' - Coluna Panorama - Boletim da Liberdade

Panorama #30 – Em resolução, PT declara que críticas ao governo devem se centrar na agenda ‘ultraneoliberal’

10.02.2020 10:28

O PT celebrou neste fim de semana, no Rio de Janeiro, seus 40 anos de existência. Com a presença de Lula, Marcelo Freixo, Mujica e Fernando Haddad, o partido lançou uma resolução “contra o neoliberalismo” para “derrotar Bolsonaro e seu governo”. Por trás das palavras e frases de efeito, ficou uma mensagem para os analistas políticos: o partido entendeu que reagir às pautas polêmicas do governo, lançadas espontaneamente ou não, é perder o foco. É mais efetivo mirar o arsenal para a agenda econômica. [1]

Guerra ao neoliberalismo – 2

Para o partido, “o governo Bolsonaro e a direita combinam o entreguismo, o ultraliberalismo e o neofascismo” e, além da agenda econômica que geraria “o crescimento da pobreza, da desigualdade, do desemprego e da fome”, há ainda o “retrocesso na agenda de direitos humanos”. O partido pondera ainda que a “elite econômica e seus porta-vozes na mídia tentam se diferenciar do bolsonarismo, mas sem abrir mão do modelo econômico que sonhavam”.

Guerra ao neoliberalismo – 3

“Não podemos perder de vista que o verdadeiro cerne do governo Bolsonaro é a agenda ultraneoliberal, ancorada numa ortodoxia fiscal suicida permanente e na privatização destrutiva de empresas estratégicas para a soberania e o desenvolvimento nacional. Lutar pela democracia, pela soberania e pelos direitos do povo é lutar contra essa agenda conduzida pelo ministro da destruição, Paulo Guedes, e seus apoiadores no Congresso Nacional”, diz o texto.

Reforma, não

Para o empresário Flávio Rocha, criador do movimento Brasil 200, é melhor deixar o sistema tributário “do jeito que está” do que fazer aos moldes da PEC 45, de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB/SP), que propõe implementar uma espécie de Imposto sobre Valor Agregado (IVA). Como se sabe, Rocha foi um defensor ferrenho do modelo de imposto sobre movimentação financeira, que acabou enfrentando – outra vez – rejeição da sociedade e está descartado pelo governo.

Reforma, sim 

Pouco depois da afirmação, o deputado federal Alexis Fonteyne – sem citar Rocha – comentou que “quem é contra a reforma tributária nunca apurou um ICMS, PIS, COFINS, ST e DIFAL ou tem uma reservinha de mercado com algum incentivo fiscal escandaloso”. Depois, complementou: “podemos até discutir as alíquotas de produtos e serviços essenciais, mas ir contra pois ‘para mim está bom’ é lesa pátria”, escreveu.

A crítica de Arthur

O deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, criticou em transmissão ao vivo o processo seletivo do Partido Novo. Recém-filiado ao Patriota e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, Arthur disse que uma “pessoa muito próxima” com especialização em Harvard foi filtrada na análise curricular enquanto outro, sem diploma, teria passado. Além disso, sem citar o nome de Filipe Sabará, afirmou que o “aprovado não tem experiência nenhuma na iniciativa privada”. A declaração não bate com as respostas de Sabará em entrevista ao Boletim.

Você está demitido

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), destacou em evento que aumentou em 147% o número de demissões em decorrência de atos de corrupção no Estado. Ele afirmou que, no governo anterior, sob a gestão do PT, a Controladora Geral de Minas era “amordaçada”, podendo agir apenas em algumas áreas. Para Zema, um dos segredos do combate à corrupção é a agilidade na punição “Penas céleres é algo fundamental para que nós venhamos a fazer algum avanço”, disse.

Comissão de Constituição e Justiça

Com a virada do ano, as composições das lideranças e comissões parlamentares na Câmara dos Deputados são alteradas. A CCJC (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania), uma das mais importantes da Câmara, deverá ser presidida agora pelo Republicanos e, a principio, em 2021, pelo PDT. Em 2019, ela foi presidida por Felipe Francischini, do PSL.

Livres – 1

O Livres se reuniu no último sábado (8) em São Paulo para definir um novo estatuto e novos comitês. Nas palavras do deputado estadual Fabio Ostermann (NOVO/RS), uma das lideranças do grupo, a Assembleia Geral foi um “marco histórico muito importante para possibilidade de instituir um novo modelo de governança composto por associados para permitir que tenha instâncias de referência e moderação na organização”. Dentre os conselhos referendados, estão o Comitê de Ética e Comitê Fiscal.

Livres – 2

Em entrevista, Paulo Gontijo, CEO do Livres, afirmou que o novo Estatuto “prepara o Livres para crescer sem depender especificamente de uma pessoa e ser uma instituição de longo-prazo”. Agora, o Conselho de Administração passa a ser o órgão máximo da instituição, que será composto por Fernando Henrique Miranda (ex-CEO do Students for Liberty Brasil), Guilherme Setúbal, Luis Felipe Costa Migan, Leonardo Regazzini e Alessandra Pinho. A esse organismo ficará submetida a diretoria executiva.

Prédios Clássicos – 1

Debate-se nos Estados Unidos a possibilidade de o presidente Donald Trump ordenar nas próximas semanas que, havendo necessidade de erguer novos prédios públicos ao custo superior de US$ 50 milhões, eles venham a usar “o estilo arquitetural clássico” como padrão. Na América, muitas construções públicas – como a própria Casa Branca – seguem elementos da arquitetura romana e grega. Apesar disso, construções modernistas como a sede do FBI ganharam espaço nas últimas décadas. A medida é apoiada pela organização “National Civic Art Society”.

Prédios Clássicos – 2

A ONG, informa o jornal norte-americano The New York Times, sustenta que a arquitetura contemporânea “criou um ambiente construído que é degradado e desumanizante”. A medida, contudo, tem sido criticada por grupos de arquitetos, que consideram que uma iniciativa como essa, se vier a ser apresentada, é uma “restrição total à liberdade de expressão” e pressupõe equivocadamente que a presidência “tem experiência, conhecimento ou entendimento de arquitetura e design para determinar o estilo de todos os prédios públicos federais”.

Instituto Millenium

Novo parceiro do Boletim da Liberdade, o Instituto Millenium continua evoluindo no ranking de think tanks da Universidade da Pensilvânia (EUA). Em estudo divulgado recentemente, o IMIL ficou em 7º lugar entre os centros de pensamento do Brasil e 33ª posição na lista da América do Sul e Central.

Fator Sikêra

Como era natural de acontecer, a chegada do politicamente incorreto apresentador policial Sikêra Jr. à programação nacional, por meio da RedeTV, fez multiplicar o número de inserções em vídeos de seu programa de televisão nas redes sociais. Inúmeros trechos são recortados e fazem sucesso nos perfis de deputados bolsonaristas. No último sábado (8), foi a vez do próprio presidente Bolsonaro republicar em suas numerosas redes um trecho em que Sikera cometa o homicídio de uma criança feito, supostamente, pela mãe e por sua companheira. O vídeo ultrapassou 100 mil reações no Facebook.

Bloco da consciência

No próximo sábado (15), acontecerá em diversas cidades do Brasil um movimento de conscientização em defesa do meio ambiente. O “Bloco da Limpeza”, como é chamado, é uma iniciativa organizada pela ONG Clean up the world. No Rio de Janeiro, as ações ocorrerão em boa parte da orla da cidade e se concentrarão na limpeza da areia por voluntários.

Não perca novas colunas

Você pode receber todas as segundas-feiras a Coluna Panorama e outros conteúdos especiais direto no seu WhatsApp. Para isso, basta participar de nossos grupos exclusivos (e estamos no sétimo). Para entrar agora mesmo, clique aqui. Vagas limitadas.


Fotos: (1) Festival do PT [Diego Padilha/Divulgação]; (2) Flávio Rocha [Divulgação]; (3) Romeu Zema [Divulgação/Governo MG]; (4) Sikera Jr [Divulgação/TV A Crítica]