fbpx

Papa lamenta repressão à igreja na Nicarágua: “privados de liberdade”

Papa Nicarágua
Até o momento, doze padres e um bispo foram detidos

O papa Francisco denunciou e lamentou, nesta segunda-feira (01), a crescente repressão que a Igreja Católica vem sofrendo na Nicarágua, pelo governo do presidente Daniel Ortega.

Até o momento, doze padres e um bispo foram detidos. “Acompanho com profunda preocupação o que está acontecendo na Nicarágua, onde bispos e sacerdotes têm sido privados de sua liberdade”.

Prisões na Nicarágua

A onda de repressão começou com a detenção do bispo de Siuna (Caribe), Isidoro Mora, em 20 de dezembro, que depois foi seguida pelas de sacerdotes de igrejas e paróquias de Manágua, León (noroeste), Matagalpa (norte), Masaya (sul), além de Jinotega, segundo a lista de Molina, veículos de imprensa e ativistas opositores.

Desde 2018, Ortega tem acusado os padres de se organizarem e orquestrarem um golpe. Os bispos haviam pedido ao presidente da Nicarágua justiça para aqueles que morreram durante os protestos e eleições antecipadas.

Leia também:  Saiba quem são semifinalistas do 7º Prêmio Boletim da Liberdade

Igreja

Em 2023 após o governo fechar uma universidade jesuíta em Manágua, o líder mundial da ordem religiosa acusou Ortega de tentar “sufocar” a Igreja Católica e as instituições cívicas.

“Expresso a eles, a suas famílias e a toda a Igreja do país minha proximidade em oração”, disse o papa durante sua mensagem semanal dominical e benção na Praça de São Pedro.

Compartilhe essa notícia:

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?