fbpx

Polícia Civil do Rio vai investigar “justiceiros” de Copacabana

Pelo WhatsApp, os membros do grupo decidem como vão se vingar dos bandidos
Playboys Justiceiros
Foto: Reprodução

Compartilhe

Um grupo de homens chamados “Playboys Justiceiros” se uniram para tentar conter uma onda de roubos, furtos e agressões cometidos por criminosos na Zona Sul do Rio de Janeiro. Insatisfeitos com a insegurança e omissão do Estado, os moradores decidiram fazer justiça com as próprias mãos. Polícia Civil vai investigar o grupo.

O movimento ressurgiu após o empresário Marcelo Rubim Benchimol ser espancado no bairro de Copacabana ao tentar defender uma personal que estava sendo roubada por criminosos. Pelo WhatsApp, os membros do grupo decidem como vão se vingar dos bandidos. Em 2015, “justiceiros” faziam o mesmo contra a atuação de criminosos em diversos bairros da região.

Em entrevista a um canal de TV, o Secretário de Segurança Pública do Rio, Victor Cézar dos Santos, disse que a ação do grupo é um “copia e cola” de grupos de extermínio e milícia. “Na realidade, é um copia e cola. Criminosos, cada um com a sua motivação, procuram cometer crimes com o objetivo de evitar crimes. Na verdade, todos eles são criminosos”, disse.

Leia também:  "A agenda 2030 é a agenda que temos que buscar", diz Cláudio Castro durante Energy Summit

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?