fbpx

Após apoiar PT, Organizadas criticam nova Lei do Esporte de Lula

Boa parte das torcidas organizadas dos principais clube brasileiros fizeram campanha para o PT nas eleições de 2022.
Foto: Divulgação/Sport Club Corinthians Paulista

Compartilhe

Membros de torcidas organizadas de diversos clubes brasileiros se posicionaram nas redes sociais criticando a nova Lei Geral do Esporte (LGE) sancionada por Lula nesta semana.

Em comunicado, a Associação Nacional das Torcidas Organizadas (ANATORG) classificou como inconstitucional os incisos 5° e 6°, do artigo 178, que trata das torcidas organizadas.

Leia também: Luiz Philippe de Orleans e Bragança denuncia Lula na AGU por fake news

Os incisos da LGE dizem que as Organizadas dos clubes respondem civilmente pelos danos causados por qualquer de seus associados ou membros no local, em suas imediações ou no trajeto de ida e volta para o evento.

Além disso, o dever de reparar os danos causados por qualquer membro da Organização é responsabilidade da própria torcida organizada e de seus dirigentes e membros, podendo pagar até com o patrimônio pessoal “solidariamente”.

Leia também:  O silêncio dos inocentes

“Gostaríamos de entender qual o sentido de um governo progressista sancionar uma lei que criminaliza e pune as instituições por conta de eventuais erros cometidos por supostos associados”, disse a Associação.

A Gaviões da Fiel, organizada do Corinthians, time de Lula, criticou o artigo da nova LGE.

Organizadas como a Urubuzada, do Flamengo, Guerreiros Do Almirante (GDA), do Vasco e a Mancha Alvi Verde, do Palmeiras; também se posicionaram contra a atitude do Governo.

Por outro lado, boa parte das torcidas organizadas dos principais clube brasileiros fizeram campanha para Lula nas eleições de 2022.

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?