fbpx
PUBLICIDADE

Moraes ordena suspensão do Telegram e multa para quem burlar bloqueio

Ministro do Supremo Tribunal Federal afirmou que aplicativo de mensagens privadas apresenta "desprezo à Justiça" e "falta total de cooperação", mencionando decisões judiciais não cumpridas
Foto: Fábio Pozzobom / Agência Brasil
PUBLICIDADE

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, acolheu um pedido da Polícia Federal e determinou nesta quinta-feira (17) a suspensão do funcionamento do aplicativo Telegram no Brasil. A decisão veio à tona nesta sexta-feira (18).

PUBLICIDADE

Tendo como base o Marco Civil da Internet, o magistrado afirmou que “o ordenamento jurídico brasileiro prevê […] a necessidade de que as empresas que administram serviços de internet no Brasil atendam às decisões judiciais” e que isso “não tem sido atendido pela empresa Telegram”.

“O desprezo à Justiça e a falta total de cooperação da plataforma Telegram com os órgãos judiciais é fato que desrespeita a soberania de diversos países, não sendo circunstância que se verifica exclusivamente no Brasil e vem permitindo que essa plataforma venha sendo reiteradamente utilizada para a prática de inúmeras infrações penais”, afirmou o juiz.

PUBLICIDADE

Leia também:  Toffoli recusa notícia-crime proposta por Bolsonaro

Moraes também mencionou diversos esforços do Tribunal Superior Eleitoral e o próprio Supremo Tribunal Federal em se aproximar ou ver atendidas, sem sucesso, determinações judiciais.

Mencionou, como exemplo, determinação de fevereiro envolvendo o ativista bolsonarista foragido Allan dos Santos. Apesar de ter tido os perfis bloqueados, Moraes afirma que o aplicativo não teria atendido a totalidade das determinações judiciais.

Ao fim, o ministro do STF determinou a intimação do presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que “adote imediatamente todas as providências necessárias para a efetivação da medida”, além da intimação de empresas como Apple e Google para a retirada do aplicativo das lojas e os presidentes dos provedores Algar Telecom, Oi, Sky, Live Tim, Vivo, Net Virtua, GTV, entre outras, para que “insiram obstáculos tecnológicos capazes de inviabilizar a utilização do aplicativo Telegram”.

PUBLICIDADE

Leia também:  Bolsonaro apresenta notícia-crime contra ministro do STF

O ministro complementa a decisão, ainda, que o aplicativo deverá ficar suspenso “até o efetivo cumprimento das decisões judiciais anteriormente emanadas” e que “as pessoas naturais e jurídicas que incorrerem em condutas no sentido de utilização de subterfúgios tecnológicos para continuidade das comunicações ocorridas pelo Telegram estarão sujeitas às sanções civis e criminais, na forma da lei, além de multa diária de R$ 100.000,00”.

O Boletim da Liberdade teve acesso à íntegra da decisão divulgado no site jurídico Conjur.

Compartilhe essa notícia:

APOIO

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?