fbpx
PUBLICIDADE

MBL anuncia reação judicial e lista alvos de futuros processos

Em transmissão ao vivo, Kim Kataguiri, Renan Santos e Rubinho Nunes observaram que muitos, dolosamente, distorceram declarações dadas pelo parlamentar do MBL no "Flow Podcast" visando afetar a sua honra
Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados
PUBLICIDADE

O Movimento Brasil Livre (MBL) detalhou nesta segunda-feira (14) em uma transmissão ao vivo com Kim Kataguiri (União Brasil/SP), Renan Santos e Rubinho Nunes (União Brasil/SP) como será a reação do grupo aos ataques sofridos nas redes sociais.

PUBLICIDADE

Reconhecendo o debate e as críticas que surgiram, Kataguiri afirmou que sofreu ataques de “oportunistas, gente que nunca gostou da gente, sempre nos odiou, petistas e bolsonaristas, e que agora está usando isso [a polêmica sobre a liberdade de expressão de nazistas no debate público] para nos atacar”.

“Eu tive um diálogo muito aberto com a comunidade judaica, e todo mundo que viu o debate completo, viu que era um debate sobre como derrubar o nazismo; e aí, setores da esquerda transformaram isso em um debate sobre gente que é a favor e contra o nazismo, sendo que não tinha ninguém a favor do nazismo naquela mesa”, explicou Kataguiri.

PUBLICIDADE

Leia também:  Kim Kataguiri assume presidência de comissão da Câmara

O vereador e advogado Rubinho Nunes, conhecido por propor ações judiciais em nome do movimento, afirmou que muitos dos ataques representaram uma ofensa à honra de Kataguiri, “pois de forma maldosa imputaram uma pecha que não cabe de nazista”, dado que Kataguiri estava, na verdade, “criticando a ideologia nazista e tudo aquilo que representa o nazismo e buscando meios de combatê-lo”.

“Houve dolo específico dessas pessoas, agindo de forma dolosa, acintosa, para assassinar a reputação, e portanto deve haver a reparação”, destacou, afirmando que serão processos da esfera cívil com o valor de 40 salários mínimos e no juizado especial.

Ao todo, segundo o MBL, serão 18 processados “na primeira leva”, e posteriormente poderão ser mais nomes processados.

PUBLICIDADE

Leia também:  Kim Kataguiri assume presidência de comissão da Câmara

Dentre os nomes que serão processados por Kataguiri, estão o youtuber Jones Manoel, o jornalista Palmério Dória, a escritora Márcia Tiburi, o youtuber Henry Bugalho, o ex-deputado federal Jean Wyllys e o deputado federal Ivan Valente (PSOL).

Alguns veículos também serão processados para que o parlamentar obtenha direito de resposta e indenização: The Intercept Brasil, Nexo Jornal, Blog da Cidadania e Band News. [2]

Compartilhe essa notícia:

APOIO

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?