fbpx
PUBLICIDADE

Frias quer vetar ‘passaporte de vacinação’ em museus da União

O secretário-especial de Cultura argumentou que os estados e municípios não poderão obrigá-lo a seguir determinações nas instituições federais
Secretário de Cultura, Mário Frias (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
PUBLICIDADE

O secretário-especial de Cultura do governo Jair Bolsonaro, Mário Frias, declarou na sexta-feira (24) que deseja vetar os chamados “passaportes de vacinação” nos museus e outros espaços culturais vinculados à União. Frias enfatizou que não está subordinado aos desejos de prefeitos ou governadores. [1]

PUBLICIDADE

“Nenhum prefeito irá decidir o que os órgãos vinculados a mim irão ou não fazer. Não aceitarei fazer parte do teatrinho autoritário sanitarista. Nas entidades vinculadas da Cultura, não iremos adotar o abominável passaporte de vacinação, ponto final”, ele publicou nas redes sociais.

A secretaria dirigida por Mário Frias engloba uma série de entidades espalhadas pelo território brasileiro que podem receber visitações do público. A Funarte, a Biblioteca Nacional e o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, estão entre elas.

PUBLICIDADE

Leia também:  Deputada quer transformar decretos sobre armas em lei

O “passaporte de vacinação” é uma expressão que faz referência à apresentação de um documento que comprove a vacinação contra o coronavírus para ingresso em estabelecimentos. O tema vem sendo aventado por governos e discutido em diferentes países, sendo aplicado não apenas a museus, mas também a bares e restaurantes.

A Folha de S. Paulo consultou especialistas para avaliar a viabilidade do veto anunciado por Mário Frias. Aline Freitas, da Cesnik, Quintino e Salinas Advogados, ponderou que a decisão do STF de reconhecer autoridade decisória a estados e municípios pode impossibilitar a efetivação da vontade do secretário.

Ao contrário, Ivan Borges, sócio da Borges Sales e Alem Sociedade de Advogados, argumentou que o governo federal tem a prerrogativa de impedir a exigência dos “passaportes de vacinação” nos espaços culturais que administra. Enfatizou, porém, que a União não poderia interferir nas instituições vinculadas aos estados ou municípios.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?