fbpx
PUBLICIDADE

Economista diz que Guedes desceu ‘às catacumbas do populismo’

Paulo Rabello de Castro publicou crítica à intenção de postergar o pagamento de precatórios, acusando o ministro da Economia de ser um "liberal de meia-tigela"
Paulo Guedes (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
PUBLICIDADE

Em artigo de 1987, o liberal mato-grossense Roberto Campos dizia que Paulo Guedes e Paulo Rabello de Castro representavam a “brilhante e jovem geração” de economistas. Neste sábado (7), Rabello de Castro publicou dura crítica ao ministro da Economia de Jair Bolsonaro no Estadão. [1]

PUBLICIDADE

Apesar de ambos serem vinculados à Escola de Chicago de economistas, por terem concluído formação universitária na universidade de Chicago do economista Milton Friedman, Rabello de Castro afirmou que Guedes é um “liberal de meia-tigela”. O cerne da crítica, no artigo Ora pro nobis, precatórios, foi a proposta de adiar o pagamento das dívidas estatais.

“O precatório é o fio de última esperança do cidadão por tratamento justo pela máquina devoradora de gente chamada governo”, definiu o economista. A intenção de dividir por dez anos o pagamento dessas dívidas, em sua leitura, é o “mais recente surto de irresponsabilidade administrativa e moral deste governo, acolitado por um suposto liberal de Chicago”.

PUBLICIDADE

Leia também:  Deputado do NOVO protocola projeto para suspensão de aumento do IOF

Rabello de Castro reconheceu que as dívidas não são “malfeitos desta administração”, mas a questão quanto ao seu pagamento “já foi resolvida”. A atitude de Paulo Guedes seria uma “maldade suprema”. Castro pontuou ainda que o ministro “enche o peito para falar de liberdade”, mas deixa precatórios “para serem pagos na hora da morte do credor (isso com sorte)”.

O economista também sustentou que Guedes pretende atender aos objetivos eleitorais de Jair Bolsonaro e “está confuso”. Rabello de Castro sentenciou que o ministro “abandona seu catecismo liberal para descer às catacumbas do populismo em busca de respostas prontas para o desemprego em massa e a fome”.

Nas eleições de 2018, Paulo Rabello de Castro foi candidato a vice-presidente na chapa de Álvaro Dias (Podemos). Antes, Castro também havia esboçado uma pré-candidatura própria ao Planalto pelo PSC, que acabou se coligando ao Podemos. Em maio, Ciro Gomes informou que teria iniciado um diálogo com Castro.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama