fbpx
PUBLICIDADE

Fábio Faria discute com jornalista que cobrou fechamento da EBC

Em meio à discussão travada no Twitter, o ministro marcou diretores da XP Investimentos, apoiadora do veículo em que o jornalista trabalha
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O ministro das Comunicações Fábio Faria (PSDB/RN), genro do apresentador de televisão e empresário Sílvio Santos, discutiu neste sábado (6) no Twitter com o jornalista Felippe Hermes, do antigo site Spotniks e colunista do InfoMoney. O motivo: a cobrança pela privatização ou fechamento da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC). [1]

O diálogo se deu nas respostas a uma publicação do comentarista Carlos Andreazza, que disse que “a gente quer saber quando o senhor vai fechar a EBC, conforme prometido pelo patrão em campanha”. Felippe Hermes reforçou a questão, indagando: “Eae? Quando vai fechar a TV Lula?”. O ministro optou por responder criticando a postura do jornalista.

“Você não acha que está muito militante pra trabalhar num veículo sério que cobre o mercado financeiro e tem a XP investimentos como apoiadora? Pare de lacrar nas redes sociais”, publicou, marcando na publicação o fundador e CEO da XP, Guilherme Benchimol, e o sócio diretor institucional Rafael Furlanetti. O jornalista insistiu na pergunta e o ministro complementou que a empresa não tem condições de ser comercializada.





De acordo com Faria, a empresa será vendida quando “tiver condições de ter algum comprador” que aceite pagar por uma televisão “que deixa 550 milhões de prejuízo por ano”. Felippe Hermes retrucou que isso seria mais um motivo para vendê-la ou parar de subsidiá-la, ao que Faria respondeu: “Primeiro vamos vender os ativos esse ano e tentar colocar despesa dentro da receita”.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama