fbpx
PUBLICIDADE


Petição pela não obrigatoriedade das vacinas reúne assinaturas na internet

Carta aberta que possui entre os signatários médicos ressalta que os imunizantes contra Covid foram desenvolvidos em tempo recorde e que deve-se levar em consideração os riscos e o direito de objeção

- Publicado no dia
Foto: Reprodução

Uma petição disponível no portal Citizen Go desde o dia 9 de outubro e de autoria do “Movimento Legislação e Vida” já reúne quase 60 mil assinaturas contra a obrigatoriedade da vacina da Covid-19. [1]

Em carta aberta destinada a Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e ao presidente do STF, Luiz Fux, os organizadores ressaltam que os imunizantes foram feitos em tempo recorde, estão em ainda em fase de desenvolvimento, portanto sujeito a riscos, e que deve-se considerar o “princípio da livre escolha individual”.


PUBLICIDADE



“Reivindicamos a não obrigatoriedade de vacinação contra a Covid-19, permitindo que os brasileiros possam fazer a sua escolha quando parâmetros de segurança mundial estiverem estabelecidos. Que o zelo e a segurança da saúde dos brasileiros seja a prioridade em detrimento aos interesses mercadológicos, ideológicos e políticos. Que a individualidade e o direito de objeção dos brasileiros seja respeitado”, diz o texto.

A nota também afirma que deve-se considerar os  “riscos de vacinar um indivíduo que teve contato com o vírus e hiperestimular seu sistema imunológico e desenvolver uma reação mais grave que a própria doença, como ocorreu com a vacina da Dengue”.

Dentre os signatários da carta, encontram-se médicos, entre os quais a Dra. Nise Yamaguchi, que ganhou notoriedade no primeiro semestre ao ser uma das principais defensoras do tratamento precoce da doença com hidroxicloroquina. Pelo Twitter, a especialista retuitou a carta. [2]

Desde a última semana, decisão do Supremo Tribunal Federal considerou constitucional medidas federais, estaduais ou municipais que imponham a obrigatoriedade da vacinação, desde que não haja uso da força física. A OMS, no entanto, é contra a medida, como noticiado pelo Boletim da Liberdade.

Para conferir a petição completa contra a vacinação obrigatória, clique aqui.

Foto: Reprodução/Twitter
★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.