fbpx
PUBLICIDADE


EUA: delegados garantem votos necessários à vitória de Biden

Apesar da vitória evidente, ela ainda precisa ser chancelada pelo Congresso americano; até o dia 6 de janeiro, podem ser apresentadas objeções

- Publicado no dia
Foto: David Lienemann / Wikimedia

As investidas jurídicas e retóricas do presidente Donald Trump foram insuficientes para mudar a votação do Colégio Eleitoral que ocorreu nesta segunda-feira (14), nos Estados Unidos. Os delegados eleitos pelos estados no último processo eleitoral conferiram ao democrata Joe Biden os votos necessários para ocupar o Salão Oval. [1][2]

Ao todo, Biden, que tem Kamala Harris como vice-presidente, recebeu 306 votos contra 232 do republicano. As votações ocorreram localmente, nas sedes dos legislativos de cada estado.

Apesar da vitória evidente, ela ainda precisa ser chancelada pelo Congresso americano. Até o dia 6 de janeiro, podem ser apresentadas objeções.


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.