fbpx
PUBLICIDADE


Kim quer que Guedes diga o quanto governo arrecadou com games

Parlamentar ligado ao Movimento Brasil Livre já fala em “desenvolver um marco legal da indústria de jogos eletrônicos” e salienta a necessidade de discutir o tema na Câmara dos Deputados

- Publicado no dia
Kim Kataguiri jogando Dota (Foto: Reprodução/Facebook)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, terá até o dia 30 de dezembro para responder ao deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) o montante total que o governo arrecada com Imposto de Importação sobre jogos eletrônicos nos últimos anos fiscais.

O deputado, que é gamer assumido e ligado ao MBL protocolizou na Câmara dos Deputados o Requerimento de Informação no dia 11 de novembro e que foi aprovado pela Mesa Diretora no dia 19. A medida é mais um ato do parlamentar do MBL que tem se destacado em defender a redução da tributação no segmento.


PUBLICIDADE



No mesmo requerimento, Kataguiri também quer que Guedes responda sobre se o Ministério tem informações sobre o “número de consoles de jogos eletrônicos produzidos em território nacional e os empregos gerados por tal atividade”.

Para o Kataguiri, as informações seriam importantes dada a “necessidade de reestruturar a indústria dos jogos eletrônicos no Brasil” e considerando que a carga tributária sobre jogos eletrônicos seria “tida como proibitiva pela indústria”.

“É necessário rediscutirmos a política econômica para os jogos eletrônicos. […] Para podermos desenvolver um marco legal da indústria de jogos eletrônicos que seja realmente efetivo, precisamos saber o montante que o fisco arrecadou com o imposto de importação nos últimos anos”, escreveu o deputado na justificativa.

Em setembro, como noticiado pelo Boletim da Liberdade, o parlamentar sugeriu ao ministro da Economia a redução do IPI na produção de consoles no país.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.