fbpx
PUBLICIDADE


Filiados do NOVO reagem contra deboches feitos por Freixo e Felipe Neto

Deputado federal do PSOL chamou o NOVO de “PSL Personalité” e de “rebanho de meninos mimados” por discordar de destaque da sigla; filiados ressaltaram origens humildes e criticaram insulto

- Publicado no dia
Marcelo Freixo foi contra o impeachment de Dilma, mas favorável ao impeachment de Crivella (Foto: Reprodução/Twitter)

Filiados do Partido Novo reagiram nesta quarta-feira (22) após publicações irônicas do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL/RJ), do presidente do PSOL, Juliano Medeiros, e do youtuber Felipe Neto contra a sigla.

As primeiras críticas surgiram ainda na noite desta terça-feira (21), quando a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do novo Fundeb foi aprovada na Câmara dos Deputados. Apesar da orientação favorável do NOVO ao texto final, o partido foi criticado pela esquerda por se posicionar contra alguns dos destaques da proposta.

“Dois partidos orientaram voto NÃO ao novo Fundeb: NOVO e PSDB”, escreveu Juliano Medeiros, presidente do PSOL, em publicação nas redes sociais. O comentário foi classificado como “fake news” pelo presidente nacional do NOVO, Eduardo Ribeiro, e repercutido nas redes da sigla. [1][2]

Mais tarde, Medeiros explicou que se referia apenas ao “destaque que mantinha o Custo Aluno-Qualidade”, que chamou de “coração do Fundeb”. “Votar contra o CAQ é destroçar o relatório original”, opinou. CAQ é um dispositivo utilizado para mensurar o custo de cada aluno no sistema educacional e, por consequência, direcionar o investimento da verba pública.

O deputado federal Marcelo Freixo também aproveitou para criticar a postura da sigla na Câmara. Em um conjunto de publicações no Twitter, chamou o NOVO de “PSL Personalitté” (uma referência à modalidade de alta renda do banco Itaú) e de “rebanho de meninos mimados”. [3][4]

“Nada contra o pessoal do PSL Personnalité ter estudado em boas escolas particulares. O problema é eles tentarem impedir que os filhos das famílias pobres tenham direito a Educação de qualidade nas escolas públicas. É isso que está em jogo na tentativa do Novo de derrubar o CAQ”, criticou Freixo. [5]

Foto: Reprodução/YouTube

O youtuber Felipe Neto, com mais de 12 milhões de seguidores, também provocou a sigla fundada por João Amoêdo. Após perguntar o que os outros internautas fariam se os filhos deles chegassem em casa e dissessem que eram eleitores do NOVO, disse que, se fosse no seu caso, não daria “mais acesso a absolutamente nada além de quarto e alimento”. [6]

“Vá estudar pela sua meritocracia e você está fora do testamento. Boa sorte, filhão”, provocou, sugerindo que os liberais acreditam que a sociedade funciona de modo meritocrático, o que, na verdade, não é um conceito respaldado na literatura liberal. [7][8]

Reações

Filiados do NOVO criticaram as publicações e, especialmente, os deboches do parlamentar do PSOL que insultou os seguidores do partido.

Dentre as respostas, pré-candidatos e filiados da sigla pontuaram suas histórias e origens de família simples para ressaltarem que nem todos seriam “mimados” ou insensíveis aos mais pobres.

“Meu falecido pai era fiscal de ônibus e minha mãe é dona de casa. Trabalhei durante anos como telemarketing para pagar minha faculdade. Sou filiado ao NOVO com muito orgulho”, pontuou Pedro Curvelo, um dos apoiadores do partido. [7]

Fabio Carino, que afirma ser filiado ao NOVO, escreveu nas redes sociais em resposta à Freixo que nasceu no subúrbio carioca e estudou em escola pública. “Batalhando a cada dia para melhorar a vida de quem precisa. Não defendo bandidos. Filiado ao Partido Novo pela transparência, seriedade e respeito”, complementou. [8]

Deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) discursa na tribuna da Câmara dos Deputados (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Parlamentares do partido também reagiram às declarações. “Garoto mimado é quem fica gritando quando é contrariado, quem fica esperneando. O NOVO não tem nada de mimado não, a gente age de forma regimental, de forma técnica, e não fica esperneando quando é contrariado. Isso sim é coisa de garoto mimado”, disse o líder da bancada do partido na Câmara dos Deputados. [9]

Já o deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) pontuou que a crítica do Marcelo Freixo, “do PT Mirim (ou PSOL)”, indica que o NOVO está no “caminho certo”.

Sem mencionar diretamente as críticas, João Amoêdo, fundador do NOVO e principal liderança da sigla, celebrou nas redes sociais a aprovação do Fundeb e parabenizou a bancada do partido na Câmara por “defender o destaque que daria mais liberdade aos gestores locais”. [10]

“Infelizmente, foi rejeitado. Com realidades distintas e recursos escassos, a maior autonomia beneficiaria o aluno”, comentou. [11]

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.