fbpx
PUBLICIDADE


Ministro da Economia e presidente da Câmara estão rompidos, diz jornal

O ministro da Economia do governo Bolsonaro está em rota de colisão com o presidente da Câmara dos Deputados em razão do projeto

- Publicado no dia
(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

A relação entre o ministro da Economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, já foi considerada próxima por diversos analistas, diante da discussão das pautas caras à pasta. Neste sábado (18), uma reportagem do Estadão destaca que os dois estão rompidos e não mantêm contato. [1]

O motivo é a votação do projeto de socorro emergencial do governo a estados e municípios. Segundo a reportagem, assim como o presidente Jair Bolsonaro, Guedes está convencido de que Maia está operando para prejudicar drasticamente as finanças da União e inviabilizar uma recuperação econômica do país, em articulação com os principais adversários do presidente: os governadores João Doria, de São Paulo, e Wilson Witzel, do Rio de Janeiro.


PUBLICIDADE



Guedes concorda também com Bolsonaro, segundo a reportagem, em que Maia pretende dar um golpe político no governo. Em contrapartida, o presidente da Câmara retruca que a equipe técnica do ministério da Economia está usando dados falsos para tenta bloquear o que seria um auxílio necessário aos governadores e prefeitos durante o enfrentamento da crise provocada pela pandemia do coronavírus.

De acordo com Paulo Guedes, o acordo é inaceitável e um “arrombamento geral da República”. O ministro havia dito que pediria ao Senado para salvar a República, com o avanço do projeto, mas o Senado, após a pressão de 25 governadores em carta pedindo a aprovação integral, não construiu um acordo para a votação nesta semana.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.