fbpx
PUBLICIDADE

Casa da Moeda é ocupada por manifestação contra a privatização

A empresa estatal está na mira do secretário de Desestatização, Salim Mattar, e vem sendo preparada pelos seus gestores para ser vendida
Casa da Moeda (Foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo)

Casa da Moeda (Foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo)

A tarde desta sexta-feira (10) foi marcada por mais um ato de resistência às pretensões de privatização da equipe econômica do governo Bolsonaro. O palco do protesto foi a Casa da Moeda: segundo relatos dos ocupantes, cerca de 800 funcionários da estatal tomaram sua sede para criticar a sua inclusão no Plano Nacional de Desestatização. [1]

A Casa da Moeda é um dos alvos do secretário de Desestatização, Salim Mattar, o que obrigou seus gestores a fazerem cortes e ajustes para preparar a empresa para ser vendida. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Casa da Moeda do Brasil, Aluízio Junior, afirmou que “o governo retira R$ 1,4 bilhão do faturamento da Casa da Moeda, fazendo com que no primeiro ano depois de 320 anos de existência da empresa, que a Casa da Moeda desse um prejuízo fabricado pelo próprio governo”.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) apoiou a manifestação, asseverando que os trabalhadores da Casa da Moeda “se mobilizam para impedir uma privatização que não faz qualquer sentido” e que “Bolsonaro e Paulo Guedes fazem muito mal ao Brasil para satisfazer os amigos milicianos e da máfia financeira internacional”. O estopim do ato teria sido uma entrevista do diretor de gestão da Casa da Moeda, Fabio Rito Barbosa, à Globo News.





Fabio disse que a Casa da Moeda “esse ano beira a um déficit operacional na casa de R$ 100 milhões, mais ajustes contábeis de exercícios anteriores no mesmo valor que talvez cheguem na casa de R$ 200 milhões”. Ele alegou que a estatal tem muitos custos operacionais e inúmeros contratos administrativos já foram reduzidos, mas afirmou que as despesas de pessoal são hoje “o grande ofensor de custos”. [2]





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama