fbpx
PUBLICIDADE

Polícia identifica primeiro suspeito de ataque terrorista à ‘Porta dos Fundos’

Polícia Civil do Rio de Janeiro aponta Eduardo Falzi Richard Cerquise como primeiro suspeito de ter envolvimento em ataque com coquetel molotov; mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos
Eduardo Falzi Richard Cerquise, suspeito apontado pela polícia como um dos autores de ataque terrorista (Foto: Divulgação)
Eduardo Falzi Richard Cerquise, suspeito apontado pela polícia como um dos autores de ataque terrorista (Foto: Divulgação)

Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou um primeiro suspeito de ter envolvimento no ataque terrorista à sede da produtora de humor “Porta dos Fundos” no último dia 24. Com base em imagens de câmeras de segurança, a Polícia afirma tratar-se do empresário Eduardo Falzi Richard Cerquise. [1] [2]

Contra o suspeito, já foi expedido um mandado de prisão e busca e apreensão. Até o momento da publicação desta reportagem, Cerquise não havia sido localizado.

Foto: Divulgação

Nas buscas realizadas em endereços comerciais e residenciais ligados ao suspeito, foram apreendidos mais de R$ 100 mil em dinheiro vivo, munição, arma falsa, facões, computadores e livros religiosos ligados tanto ao cristianismo como ao islamismo.





Esse não teria sido, contudo, o primeiro ato de agressão do homem, que mora na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Em 2013, o suspeito chegou a agredir o secretário de ordem pública do município do Rio, Alex Costa, ato que chegou a leva-lo a ser condenado pela justiça.

Polêmica 

O ato terrorista com coquetel molotov que levou fogo à fachada da produtora carioca ocorreu após a polêmica produção de um especial para natal exibido para a Netflix.

No filme, que foi muito criticado por cristãos nas redes sociais, Jesus é interpretado como homossexual incerto sobre sua missão





A Justiça chegou a ser acionada para que o filme fosse retirado do ar, mas negou a retirada da produção. No entanto, ainda não há confirmação de que o ataque esteja relacionado a essas críticas.

A produtora afirmou que “já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos”.

O movimento Livres, de viés liberal, classificou o ataque como um “absurdo”. Nas redes, afirmou que “quando você defende a violência hoje, para responder a uma expressão que você não gosta, abre caminho para que os ataques, amanhã, sejam contra o que você gosta” e destacou que “tolerar em paz o desagradável é a civilização contra a barbarie”. [3]

Um grupo autodenominado integralista chegou a se manifestar nas redes assumindo o atentado. A Federação Integralista Brasileira, contudo, negou envolvimento. Não há, ainda, evidência comprobatória que conecte o atentado ao filme.









O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama