fbpx
PUBLICIDADE


Ministro da Educação diz ter errado ao replicar tweet de Nando Moura chamando Jair Bolsonaro de traidor

O youtuber estava atacando a decisão do presidente da República de não vetar o item do pacote anticrime que cria a figura do juiz de garantias

- Publicado no dia
Abraham Weintraub (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro da Educação Abraham Weintraub cometeu nesta quarta-feira (24) um ato falho bastante delicado: replicou um tweet de um famoso youtuber afirmando que o presidente Jair Bolsonaro se comporta como um “traidor”. O deslize ocorreu depois de veículos da imprensa divulgarem especulações sobre uma possível saída do ministro do cargo.

O tweet é do youtuber Nando Moura, antigo apoiador do presidente da República que vem se destacando por tecer críticas ao relacionamento entre Bolsonaro, o Congresso e o Poder Judiciário, especialmente o STF. O motivo do ataque no dia de Natal foi a sanção do presidente ao pacote anticrime com a criação da figura do “juiz de garantias”, que pode ter impacto imediato em processos como os da Operação Lava Jato.

(Foto: Reprodução/Facebook)

PUBLICIDADE



Moura havia dito que Bolsonaro “traiu não só o ministro Sérgio Moro, mas todo o povo brasileiro” e que “não existe mais nenhuma justiça neste país”. Weintraub retweetou o post, mas depois o excluiu. Não foi suficiente para evitar que o print do ato viralizasse pelas redes sociais e gerasse comentários. O próprio Weintraub, no entanto, se manifestou pela mesma página no Twitter para dizer que deu “RT sem querer em um post. Evidentemente que foi um erro”.

Seu irmão Arthur Weintraub saiu em defesa do ministro: “Meu irmão é tiozão de Internet. Ele às vezes fica folheando posts e dá like e RT sem querer. Eu pergunto: ‘você viu que você curtiu tal coisa? Ele ‘eu apenas li’. Some-se a isso o fato de que ele está num navio, com Internet intermitente. Meu irmão vai gravar um vídeo explicando o erro”, alegou.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.