fbpx
PUBLICIDADE


Prefeito do Rio manda recolher livro da Bienal com conteúdo gay

De acordo com nota enviada pela Prefeitura, medida foi motivada porque ECA exige que obra para menores de 10 anos sobre homossexualismo seja comercializada com aviso sobre o conteúdo, o que não ocorreu

- Publicado no dia
Marcelo Crivella (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou na noite desta quinta-feira (5) que pediu o recolhimento de pelo menos um título à venda na Bienal do Livro: a história em quadrinhos Vingadores: A Cruzada das Crianças, editado pela Marvel. [1]

O livro, escrito por Allan Heinberg e Kim Cheng, aborda um romance entre dois personagens masculinos da trama – Wiccano e Hulkling. Denúncias quanto à venda do título tiveram início após, supostamente, uma mãe ter reclamado do conteúdo após comprar o livro para o filho. [2]


PUBLICIDADE



“A Prefeitura do Rio de Janeiro determinou que os organizadores da Bienal, lá no [espaço de convenções] Rio Centro, recolhesse esse livro que você está vendo [Vingadores: A Cruzada das Crianças], que já foi denunciado inclusive na internet, que traz conteúdo sexual para menores”, disse o prefeito.

Na sequência, Crivella alertou que “livros assim precisam estar embalados em plástico preto, lacrado, e do lado de fora avisando o conteúdo”, complementando que a intenção é estar “protegendo os menores da nossa cidade”.

Em nota enviada à imprensa, a Prefeitura do Rio alegou que estava cumprindo as normas determinadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“A Prefeitura entendeu inadequado, de acordo com o ECA, que uma obra de super-heróis apresente e ilustre o tema do homossexualismo a adolescentes e crianças, inclusive menores de 10 anos, sem que se avise antes qual seja o seu conteúdo”, disse.

Nas redes sociais, personalidades criticaram a atitude do prefeito, associando a prática à censura e a motivações político-religiosas. [3]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.