fbpx
PUBLICIDADE


Bancada do NOVO identifica erro de R$ 671 milhões no orçamento, diz van Hattem

Após polêmica com um suposto aumento dado pelo governo no orçamento à verba destinada ao Fundo Eleitoral, em que o presidente Jair Bolsonaro classificou como ‘fake news’, Van Hattem explicou o erro

- Publicado no dia
Deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) discursa na tribuna da Câmara dos Deputados (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Marcel van Hattem (NOVO/RS) anunciou no início da tarde desta terça-feira (3) que realmente havia um erro nas verbas destinadas ao Fundão Eleitoral no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) enviado pelo Executivo para o ano de 2020. O debate gerou polêmica no fim da última semana entre o deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) e o presidente Jair Bolsonaro, que chegou a classificar como notícia falsa o aumento. [1]

“Desde sexta-feira (30), quando o governo encaminhou ao Congresso o PLOA, identifiquei um estranho e injustificado aumento no valor destinado ao Fundo Eleitoral. O equívoco se tornou ainda mais evidente quando, no sábado (31), o presidente Jair Bolsonaro publicou na sua conta no Twitter um ofício encaminhado pelo TSE e, nesse mesmo ofício, constava também a memória de cálculo. Após começarmos a identificar o problema, decidi entrar em contato diretamente com o ministro Paulo Guedes levando a ele as informações que já havia apurado”, explicou Marcel.


PUBLICIDADE



Na sequência, afirma que Guedes foi “muito solícito, ouviu a argumentação e repassou contatos da área técnica” para compreender a situação e, ao fim, houve a percepção de que realmente ocorreu um erro.

O equívoco teria sido causado pela Receita Federal, que teria encaminhado ao Tribunal Superior Eleitoral dados errados “diferentes e maiores do que os previstos em lei para o cálculo do Fundão, o que acabou resultando no aumento global”.

“Com os valores corrigidos, esses dados equivocados fornecidos ao TSE acabaram aumentando indevidamente o Fundão em R$ 671 milhões em 2020. Repito: R$ 671 milhões”, disse o deputado do NOVO, explicando que o valor correto a ser destinado para as eleições 2020 seria de R$ 1,87 bilhão, não de R$ 2,54 bilhões.

“Com essa correção, o Partido Novo oferece importante contribuição para que R$ 671 milhões do bolso dos pagadores de impostos que iriam para financiar campanhas eleitorais não constem do orçamento do ano que vem”, concluiu.

Nas redes sociais, o Movimento Brasil Livre parabenizou o Partido Novo “por ter se aprofundado no tema e descoberto a verdade” e afirmou que “vai lutar para derrubar este e qualquer aumento”.

“O próprio governo enviou ao TSE dados inflados sobre a compensação fiscal. O TSE então ‘devolveu’ ao governo o aumento de R$ 671 milhões do fundão”, sintetizou a entidade. [2]

Renan Santos, coordenador do movimento, parabenizou Kim Kataguiri e van Hattem pela pressão e frisou, entre aspas, a intenção sem querer do governo no erro. [3]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.