fbpx
PUBLICIDADE


General da Polícia Militar decide revogar possível punição a ativista do MBL

Gabriel Monteiro lançou seu canal do YouTube no final de 2018 com vídeos similares aos que fizeram fama a Arthur do Val, o “Mamãe Falei”, e logo alcançou meio milhão de inscritos

- Publicado no dia
Gabriel Monteiro entre Kim Kataguiri (esquerda) e Arthur do Val (direita), ambas lideranças do MBL (Foto: Reprodução/Facebook)

O Secretário de Estado de Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, General Rogério Figueiredo, suspendeu na noite desta quinta-feira (29) um ato da corporação que havia destinado o ativista e soldado da PMERJ, Gabriel Monteiro, a uma revisão disciplinar.

Monteiro é ativista do Movimento Brasil Livre e mantém um canal no YouTube com quase meio milhão de inscritos com vídeos similares aos que deram fama a Arthur do Val, do canal “Mamãe Falei”. Nas redes sociais, o ativista também costuma relatar o seu cotidiano como policial militar.


PUBLICIDADE



No final da manhã desta quinta (29), Monteiro revelou ao público o processo e considerou que o ofício “possivelmente” culminaria em sua expulsão da corporação.

Entre as motivações protocoladas no documento, estavam as que ele estava usando uniformes em “desalinho” e por ter desrespeitado um coronel aposentado da Polícia Militar em um ato ocorrido em abril, noticiado pelo Boletim da Liberdade.

“Eu sabia que um dia isso iria acontecer. Alguém acha que eu sujo o nome da PM? Estou me despedindo do meu trabalho nas ruas com bastante tristeza. Infelizmente não posso mais dar a vida pela sociedade, pelo menos não como policial. Continuarei sempre aqui. Mesmo que tirem minha farda, não conseguirão mexer com meus sonhos e caráter”, havia escrito Monteiro.

Ao saber da revisão da suspensão pelas redes sociais da PMERJ, Monteiro desabafou: “A Polícia Militar é a minha vida”. Nos bastidores, fala-se que Monteiro será candidato às eleições de 2020 a vereador do Rio de Janeiro.

+ Gabriel Monteiro, policial militar e ativista que se tornou o ‘Mamãefalei’ do MBL Rio, conversa com o Boletim

+ Ativistas liberais são agredidos em protesto contra Cuba no Rio

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.