fbpx
PUBLICIDADE


Em resposta a comentário, Bolsonaro compartilha crítica a Deltan Dallagnol

Internauta pediu a Bolsonaro que indicasse o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato como novo procurador-geral da República e resposta do presidente surpreendeu

- Publicado no dia
Bolsonaro durante entrevista à Leda Nagle (Foto: Reprodução/Youtube)bolsona

Cada vez mais pressionado a se afastar da coordenação da Operação Lava Jato após ter conversas vazadas, o procurador Deltan Dallagnol poderia dar a volta por cima se fosse nomeado como novo Procurador-Geral da República. Mas, ao que tudo indica, esse cenário é improvável. [1]

Neste domingo (11), o presidente Jair Bolsonaro, em resposta a uma internauta que havia feito esse pedido, afirmou que “combater a corrupção” é um dever de Dallagnol. Na sequência, compartilhou uma publicação da página “Bolsonaro Opressor 2.0” que afirma que “o cara é esquerdista estilo PSOL”.

Foto: Reprodução/Facebook

A publicação é um apanhado de capturas de telas com tweets e declarações do procurador paranaense. Em uma das imagens, ele aparece ao lado de Matheus Leitão, filho da jornalista Miriam Leitão, com quem o presidente recentemente se envolveu em uma polêmica.


PUBLICIDADE



Dallagnol escreve, na sequência, que a “ditadura militar virou uma espécie de fetiche em tempos recentes”. Outra imagem anexada à publicação publicação mostra o procurador compartilhando reportagens sobre as acusações contra o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e sobre o caso de Fabrício Queiroz, investigado junto com Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

Escolha do novo PGR

O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar nos próximos dias o nome do novo Procurador-Geral da República. O mandato de Raquel Dodge está terminando e Bolsonaro tem em mãos a lista tríplice, composto por três nomes mais sugeridos entre os próprios procuradores para assumir o posto. O presidente, contudo, possui autoridade para nomear quem desejar, mesmo que fora da lista. Os nomes mais fortes que têm circulado são os de Vladimir Aras e Paulo Gonet. Ambos são considerados discretos e com perfil conservador e de direita.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.