fbpx
PUBLICIDADE


Secretário adjunto de desestatização é escolhido para presidir o BNDES

Após pedido de demissão de Joaquim Levy, presidente anuncia escolha de nome técnico de dentro do governo para presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para ‘abrir a caixa preta’

- Publicado no dia
Gustavo Montezano é pós-graduado pelo Ibmec/RJ (Foto: Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro anunciou no início da noite desta segunda-feira (17) o nome do novo presidente do BNDES. Será o economista Gustavo Montezano, que assumia então o posto de secretário adjunto de desestatização, número dois da pasta comandada por Salim Mattar no Ministério da Economia. [1]

Montezano é mestre em economia pelo Ibmec-RJ e engenheiro graduado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Na carreira privada, trabalhou em bancos de investimentos como o BTG Pactual e o Opportunity.


PUBLICIDADE



Presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal, o economista Rodrigo Constantino celebrou a notícia. “Número dois do Salim Mattar, então só pode ser fera! Boa escolha, ministro”, referindo-se à Paulo Guedes. [2]

Após o pedido de demissão de Joaquim Levy, diversos nomes foram especulados para assumir o posto. Dentre eles, Gustavo Franco e o próprio Salim Mattar.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.