fbpx
PUBLICIDADE

Para evitar nova greve dos caminhoneiros, Bolsonaro intervém no preço do diesel

Medida foi justificada pelo presidente por não ter compreendido a razão de o reajuste no combustível ter sido maior ao índice de inflação, e também por estar "preocupado" com os caminhoneiros
(Foto: Reprodução / Congresso em Foco)
(Foto: Reprodução / Congresso em Foco)
PUBLICIDADE

Pela primeira vez em seu governo e em contraponto ao recomendado pela cartilha liberal, o presidente Jair Bolsonaro decidiu intervir nos preços praticados pela Petrobras e bloquear o reajuste do preço do diesel. A ordem se deu durante uma ligação ocorrida na noite desta quinta-feira (11) ao executivo Roberto Castelo Branco, presidente da estatal, escolhido por Guedes.

PUBLICIDADE

Bolsonaro justificou a decisão pelo fato de o aumento, anunciado pela petrolífera (5,7%), ser maior do que o projetado da inflação (3,7%).

“Não sou economista, já falei que não entendia de economia, quem entendia afundou o Brasil. Estou preocupado com o transporte de cargas no Brasil, com os caminhoneiros. São pessoas que realmente movimentam as riquezas, de norte a sul, leste a oeste e que tem que ser tratados com devido carinho e consideração. Nós queremos um preço justo para o óleo diesel”, afirmou o presidente. [1]

PUBLICIDADE

Ameaças de novas paralisações de caminhoneiros, como ocorridas em 2016, foram determinantes para que o presidente também tomasse essa decisão.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama