fbpx
PUBLICIDADE

Kim Kataguiri sobre comemorações do dia 31 de março: ‘Canelada’

Presidente Jair Bolsonaro, que enquanto parlamentar nunca escondeu admiração pelo regime militar, pediu celebrações das Forças Armadas na data do início da intervenção, que faz 55 anos em 2019
Deputado federal Kim Kataguiri (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)
Deputado federal Kim Kataguiri (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) criticou ao Boletim da Liberdade nesta quarta-feira (27) a iniciativa do presidente Jair Bolsonaro de pedir celebrações do dia 31 de março. A data marcou o início do regime militar, iniciado em 1964.

“Só atrapalha a reforma da Previdência. Mais uma canelada”, disse Kim, que é também coordenador nacional do Movimento Brasil Livre e um dos parlamentares que fazem uma defesa mais aguerrida da medida econômica.

Kataguiri não é, porém, o único nome expressivo da nova direita que criticou a celebração. O cantor Lobão, que tem mais de 650 mil seguidores nas redes sociais, afirmou em vídeo que não considera que intervenção foi um golpe, mas criticou o regime e o ato de relembrá-lo com ares heroicos.





Ainda nesta quarta, foi divulgada uma nota do Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, sobre o período. [1]

“Cinquenta e cinco anos passados, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica reconhecem o papel desempenhado por aqueles que, ao se depararem com os desafios próprios da época, agiram conforme os anseios da Nação Brasileira”, afirma a nota.

[irp]

Contraste





O posicionamento do novo governo sobre a medida contrasta com gestões anteriores, como o da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Em 2011, para investigar crimes cometidos no período, Dilma criou a Comissão Nacional da Verdade, que foi concluída em 2014.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama