PUBLICIDADE


Lobão sobre comemorações de 31 de março: ‘A gente não pode glorificar expedientes sombrios’

Cantor seguido por quase 650 mil pessoas nas redes sociais considera que em 31 de março de 1964 não houve um golpe e que os militares salvaram o Brasil de se tornar um ‘Cubão’, mas afirma que regime foi tacanho

- Publicado no dia
Lobão (Foto: Reprodução/YouTube)

O cantor e compositor João Luiz Woerdenbag Filho, mais conhecido como Lobão, um dos principais influenciadores da nova direita brasileira, criticou nesta quarta-feira (27) as comemorações ao início do regime militar de 1964.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, Lobão concorda que, em 31 de março de 1964, não houve golpe. Mas alertou os seguidores ao risco de os novos direitistas se assemelharem com a esquerda ao glorificar fascínoras.

“Precisamos perceber que o regime de 1964 era autoritário, ainda que não fosse totalitário, o que já é uma merda. Foram 23 anos de uma censura estúpida. Foi um período muito escroto e, se não tivéssemos tido, não estaríamos vivendo agora todas essas mazelas. Ter saudades de um regime desse é de uma estupidez que revela tudo aquilo que eu tenho falado sobre a direita. A gente não pode glorificar expedientes sombrios”, afirmou.


PUBLICIDADE


O cantor também alertou ao risco de ficar olhando pra trás. “Glorificar isso acaba indo contra a gente, porque a gente não está olhando pra frente. Estamos no século 20 ainda? A direita fica em 1964 e a esquerda em 1968?”.

Apesar das críticas, Lobão – que é seguido por quase 650 mil pessoas nas redes sociais – considera que os militares de 1964 salvaram o Brasil de se tornar um “Cubão” e, por isso, não devem ser demonizados. Porém, diz que não devem ser tornados heróis porque o regime foi “tacanho, imbecil e ingênuo”. Assista:

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.