fbpx
PUBLICIDADE


Movimentos de rua cogitam grandes manifestações contra decisão do Supremo

Movimento Brasil Livre e “Nas Ruas” publicaram convocações enigmáticas nas redes sociais subentendendo que poderão ser convocados protestos no fim de semana contra decisão que pode prejudicar Lava Jato

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução/Alan Sampaio – iG Brasília)

Movimentos de rua e mobilização popular passaram a madrugada desta sexta-feira (15) discutindo a possibilidade de convocar novas manifestações de rua contra a decisão do Supremo Tribunal Federal, considerada negativa para a Operação Lava Jato.

Principal movimento de rua do país, o MBL chegou a publicar um “quase” convite em suas redes sociais dizendo: “Atenção: deixe seu domingo reservado! Talvez você precise sair às ruas pelo seu país”. [1]

Na mesma linha, e sem dar maiores detalhes, o movimento “Nas Ruas”, fundado pela deputada Carla Zambelli (PSL/SP), pediu para deixar o “fim de semana reservado”. “Vamos precisar de todos nas ruas em breve”, disse a publicação. [2]


PUBLICIDADE



Combativo, o “Nas Ruas” prometeu ainda que os brasileiros lutarão pelo impeachment de “cada ministro que foi contra a Lava Jato”. No Congresso, Zambelli tem feito pressão para que esse tipo de processo não seja, como de costume engavetado. [3]

Até a manhã desta sexta-feira (15), o Vem Pra Rua, segundo maior movimento, ainda não havia se manifestado à respeito de uma nova manifestação.

Impasse

Segundo uma fonte ouvida pelo Boletim da Liberdade, duas questões estão sendo analisadas pelos grupos: primeiro, se há clima para se fazer uma manifestação numerosa no fim de semana. Segundo, qual pauta prática seria defendida pelos movimentos.

Há os que se dividem entre a importância de se criar um projeto de lei que torne sem efeito o julgamento do Supremo Tribunal Federal, pressionando por sua rápida tramitação e aprovação no Congresso, ou mesmo o apoio ao Pacote Anti-Crime do ministro Sergio Moro; e também aqueles que defendem que a pressão seja pelo afastamento ou crítica aos ministros envolvidos na decisão.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


 

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.