fbpx
PUBLICIDADE


Professora que defendia o ‘porte de livros’ é a primeira vítima de atentado em escola

Marilena Umezu já havia criticado o porte de armas nas redes sociais; parte dos internautas tenta associar tragédia a medidas liberalizantes na posse e no porte de armas fogo

- Publicado no dia
Foto: Marilena Umezu

O massacre de estudantes e funcionários de uma escola em Suzano (SP), na manhã desta quarta-feira (13), teve como primeira vítima a coordenadora pedagógica Marilena Umezu.

De acordo com reportagem publicada pelo G1, Umezu lecionava aulas de filosofia e era crítica ao porte de armas de fogo.


PUBLICIDADE



Ela teria escrito nas redes sociais que era, na verdade, a “favor do porte de livros, pois a melhor arma para salvar o cidadão e a educação”. [1]

Nas redes sociais, parte dos internautas tenta associar o massacre – que matou pelo menos sete pessoas, entre alunos e funcionários – à maior liberalização das armas de fogo, pauta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, além dos eleitores de viés conservador e liberal. [2][3]

Para o senador Major Olímpio (PSL/SP), contudo, a história não teria terminado dessa maneira se os professores estivessem armados. “Se os professores estivessem armados e se os serventes estivessem armados, essa tragédia de Suzano teria sido evitada”, afirmou o parlamentar. [4]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.