fbpx
PUBLICIDADE


Deputado do PSL quer facilitar a reintegração de propriedade pela polícia

Carlos Jordy afirmou na justificativa que soluções judiciais frequentemente são demoradas e que a invasão de propriedade “produz traumas psicológicos e emocionais, além de prejuízos financeiros e morais”

- Publicado no dia
Foto: Divulgação/PSL

O deputado federal Carlos Jordy (PSL/RJ) propôs na última quinta-feira (7) um projeto de lei para facilitar a retomada de posse de uma propriedade invadida. [1]

A ideia é incluir um parágrafo ao artigo 1.210 da Lei nº 10.406/2002, afirmando que o “proprietário esbulhado poderá requerer o auxílio de força policial para retirada dos invasores, desde que apresente escritura pública que comprove a propriedade do imóvel, e respectiva certidão do registro do imóvel atualizada”.


PUBLICIDADE



Na justificativa, o deputado afirma que, salvo a expulsão imediata, já prevista, o que resta é uma solução via judicial demorada, que produz insegurança jurídica e desestimula atividades econômicas.

“A invasão priva o proprietário da utilização do bem, impede o direito de habitação, produz traumas psicológicos e emocionais, além de prejuízos financeiros e morais que nunca serão ressarcidos. Trata-se de uma segunda forma de agressão não apenas ao direito de propriedade, mas também de uma intolerável violação da dignidade do ser humano”, afirma Jordy.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.