fbpx
PUBLICIDADE

Olavo de Carvalho e Alexandre Frota trocam farpas nas redes sociais

Principal influenciador de viés conservador da nova direita brasileira, Olavo de Carvalho chegou a chamar o deputado eleito Alexandre Frota (PSL/SP) de 'mais leal aos chineses do que ao presidente'
Olavo de Carvalho (Foto: Reprodução / Folha)

Olavo de Carvalho (Foto: Reprodução / Folha)

O filósofo e professor Olavo de Carvalho, principal influência conservadora do novo governo, reagiu no início da tarde deste sábado (19) sobre a repercussão de sua crítica aos parlamentares eleitos brasileiros – em sua maior parte, do PSL – que viajaram à China.

Nas redes sociais, mirou os ataques, principalmente, ao deputado eleito Alexandre Frota (PSL/SP) – que, embora não estivesse em viagem, é apontado como um dos principais articuladores da missão. [1]

“O Frota já mostrou que é mais leal aos chineses do que ao presidente cujo prestígio o elegeu. Não precisava ter tanta pressa de realizar o que eu previa desde 2018”, afirmou Olavo. [2]





O professor afirmou ainda que “a China não permite que um único brasileiro fale contra ela”, sendo por isso um “imperialismo infinitamente mais prepotente do que qualquer outro”. [3]

“Meses antes da eleição do Bolsonaro, eu já avisava que um presidente nacionalista e conservador estaria à mercê de forças internacionais incontroláveis e cercado de agentes locais a serviço delas. Eleger um presidente sem ter antes conquistado em favor dele a hegemonia cultural, avisei, é um risco quase suicida”, disse, complementando em outro post que o “O Brasil já está sob domínio chinês”. [4][5]

Frota crítica ataques

Em transmissão ao vivo nesta sexta-feira (18), o deputado eleito Alexandre Frota avaliou que os ataques contra a comitiva da China são uma “covardia” e um “apedrejamento virtual”. [6]





“A primeira pessoa que foi convidada a ir para a China fui eu. Não aceitei, mas estendi o convite a outros parceiros e amigos. Não é uma viagem oficial ao PSL e ninguém foi lá pra negociar absolutamente nada. Mas sim para conhecer diversas fábricas e empresas”, explicou Frota.

O deputado não escondeu ainda a decepção com o professor Olavo de Carvalho e com seus alunos por causa dos ataques.

“Até ontem eu tratava [o Olavo de Carvalho] com muito respeito. Nunca faltei o respeito com ele. Há um vídeo onde ele mesmo diz que o Brasil precisava de mais ‘Alexandres Frota’ que enfrentassem a esquerda. Então, vem esses alunos [de Olavo], falso moralistas, hipócritas, jogando a direita contra a direita, falando que somos traidores. E o professor Olavo de Carvalho, no alto desses anos todos, chamar essas pessoas que estão visitando, por convite do governo da China sim, de ‘semianalfabetos’? São pessoas que lutaram para colocar o Bolsonaro lá também. Parece que o PSL só foi eleito por causa dos alunos e do professor Olavo de Carvalho. Não foi. Pelo menos, nenhum aluno do Olavo de Carvalho votou em mim. Não venham com essa ‘marra’ de dizer que ‘fizemos vocês’. Fizeram é o caralho”, disse Frota, contundente.

O deputado do PSL frisou na transmissão a importância da China para o Brasil e afirmou que grande parte dos que estão atacando os parlamentares da comitiva estão “agindo igual a esquerda”.





“A China é o maior parceiro comercial do Brasil. Não adianta chorar: mais cedo ou mais tarde, o Bolsonaro irá visitar a China. Aí eu quero ver esse ataque virtual, essa comoção da direita. Ou dessa direita – porque não é toda a direita. Aí eu quero ver quando o Bolsonaro pisar na China, vocês falarem que [ele] é semianalfabeto. Quero que vocês falem que o Paulo Guedes é semianalfabeto, porque ontem o Paulo Guedes estava sentado com o embaixador da China estreitando os laços. Porque sabe dos bilhões e bilhões que são investidores em vários setores da economia do Brasil. Aí vocês ameaçam a Carla Zambelli? Eu já tive meus problemas com ela. Dizerem que vão esperar ela no aeroporto? Estão pensando que são quem? Porra, concorram a uma eleição e vão lutar. Cai pra dentro de Brasília. Não esqueçam que são muitos os que estão lá hoje e vão voltar pra cá sendo apedrejados virtualmente por um núcleo da direita – que está fazendo e agindo igual a esquerda.”





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama