PUBLICIDADE


Ditador venezuelano diz que Bolsonaro é ‘Hitler dos tempos modernos’

Em discurso perante a Assembleia Nacional Constituinte, de hegemonia chavista, Maduro atacou o presidente brasileiro e sua política de privatizações

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Folha)

Comparar o adversário ao ditador nazista Adolf Hitler é expediente clichê em debates. O ditador Nicolás Maduro fez uso dele nesta segunda-feira (14) para se referir ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. [1]

Maduro, que já havia taxado Bolsonaro de “fascista” na semana anterior, afirmou que o presidente do Brasil é nada menos que “o Hitler dos tempos modernos”. Paradoxalmente, Maduro o acusou de fraqueza, por supostamente não ter autonomia em suas decisões e por adotar uma política econômica liberal, personificada na figura de seu superministro da Economia, Paulo Guedes.


PUBLICIDADE


“E aí temos o Brasil, nas mãos de um fascista. (…) Bolsonaro é o Hitler dos tempos modernos. Não tem coragem nem decisões próprias, é um fantoche”, ele discursou para a Assembleia Nacional Constituinte, de hegemonia chavista. Maduro ainda manifestou convicção de que a política de privatizações do governo Bolsonaro irritará os brasileiros, que se insurgirão contra sua adoção. “O povo brasileiro se encarregará dele. Deixemos o tema Bolsonaro ao formoso povo brasileiro, que lutará e se encarregará dele.”

No mesmo discurso, o ditador venezuelano afirmou que a detenção temporária de Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional venezuelana que se declarou presidente interino do país e pediu apoio das Forças Armadas para depor Maduro, no último domingo (13), foi uma farsa. “Ah, que coincidência! Uma câmera perfeitamente apontada (…), profissional, que captura o momento em que o deputado (…) é retido em um ato estranho”, ironizou.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  Jair Bolsonaro nega que filho vetou seu acesso ao Twitter: 'Fake News'
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.