fbpx
PUBLICIDADE

Na Globo, Zema pede voto a Amoêdo e Bolsonaro; NOVO considera ‘infidelidade partidária’

Romeu Zema está em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto e foi o único candidato a um cargo executivo do NOVO convidado a participar de debate da Globo; declaração é tentativa de ir ao segundo turno
Foto: Divulgação/TV Globo

O candidato do Partido Novo ao governo de Minas Gerais, único a ser convidado a um debate da TV Globo por pontuar com mais de 6% nas pesquisas de intenção de voto, encerrou sua participação na emissora com uma declaração polêmica. Além de João Amoêdo, candidato de seu partido, Romeu Zema recomendou o voto em Jair Bolsonaro (PSL). [1]

“Aqueles que querem mudança com certeza podem votar nos candidatos diferentes, que são o Amoêdo e o Bolsonaro”, afirmou, após defender o voto nos candidatos a deputado do NOVO.

Pouco depois do término do debate, ainda na madrugada, o partido manifestou-se no Twitter sobre o ocorrido. Em nota que não foi assinada, a legenda afirmou que considerou o “pedido de voto a outro candidato, como fez Romeu Zema, infidelidade partidária”. [2]





“Trabalhamos dia e noite para que João Amoêdo chegue ao segundo turno e continue nos dando orgulho ao representar o que realmente significa ser NOVO”, complementa a nota.

Na rede, os internautas se dividiram em relação ao posicionamento do partido. Alguns reclamaram que a nota pode prejudicar o candidato ao governo de Minas, que vem crescendo nas pesquisas, logo na reta final. Outros, porém, afirmaram que a declaração de Zema foi uma decepção.

Em terceiro lugar nas pesquisas, atrás apenas de Antonio Anastasia (PSDB) e Fernando Pimentel (PT), uma coisa é certa: com a declaração, Romeu Zema tenta atrair a simpatia do eleitorado de Bolsonaro, que são 34% no estado. Atualmente, Zema estaria fora do segundo turno, com apenas 9% das intenções de voto. [3]





Nota oficial do Partido Novo

Segue a nota da legenda na íntegra:

“A declaração dada por Romeu Zema em suas considerações finais no debate de ontem da Rede Globo Minas, pedindo voto para candidato de outro partido, é inaceitável, viola o estatuto do Partido NOVO e configura infidelidade partidária.

O artigo 16, parágrafo único, do estatuto do NOVO considera que “nas situações equívocas de campanha, em que possa parecer existir aliança ou atuação conjunta com candidato de outro partido fora das hipóteses de coligação oficial, o candidato do NOVO deverá pronunciar-se clara e abertamente contra a existência de aliança”.





O partido e seus filiados e apoiadores trabalham dia e noite para que João Amoêdo chegue ao segundo turno e continue nos dando orgulho de representar o NOVO e a mostrar ao país ser o único caminho para a renovação que a política brasileira precisa. E também para que todos os candidatos do partido a governador e ao Legislativo sejam bem sucedidos em suas disputas.

Coerência com nossos princípios e valores e compromisso com a transparência são fundamentais para o NOVO, mais importantes do que eventuais benefícios eleitorais de ocasião.

Romeu Zema  e a coordenação de sua campanha já foram avisados sobre o posicionamento do Partido em relação a esse episódio”.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama