PUBLICIDADE


Admiradores do Partido Novo pressionam para Amoêdo ir ao debate na Band

Engenheiro está fora do debate porque a lei eleitoral torna o convite facultativo, mas apoiadores querem que a emissora faça o convide

- Publicado no dia
João Amoêdo (Foto: Reprodução / A Crítica)

O presidenciável do Partido Novo, o engenheiro João Amoêdo, não foi convidado para participar do primeiro debate entre os candidatos, marcado para esta quinta-feira (9), na Band. A legislação eleitoral obriga que as emissoras convidem apenas os nomes de partidos com pelo menos cinco parlamentares com mandato. Os entusiastas do NOVO não estão satisfeitos e resolveram agir nas redes sociais para pedir pela participação dele.

Na página da emissora em que o debate foi divulgado, várias manifestações foram publicadas nesse sentido. Em uma delas, Helio Beltrão, presidente do Instituto Mises Brasil, diz que a presença de Amoêdo seria muito importante por trazer “uma mensagem sóbria, séria e crucial”. Militante do NOVO no Rio, Marie Simone Sandy diz que a emissora não faz “o bom serviço de informar aos 60% de indecisos que há uma opção para a renovação, um candidato que representa um NOVO Brasil”.


PUBLICIDADE



A pressão foi feita exatamente depois que Amoedo convocou seus seguidores e eleitores, no último dia 5, a fazer essa mobilização. “Consideramos justo e democrático que todo candidato tenha o mesmo espaço nos veículos de imprensa. Só assim o cidadão vai poder escolher o melhor candidato”, frisou.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  NOVO celebra avanço de reformas na Câmara, mas quer manter poderes da Receita Federal
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.