fbpx
PUBLICIDADE


Líder do MBL, Renan Santos responde sobre a razão de não apoiar Amoêdo

Ativista respondeu a internautas em seu Instagram sobre a relação do MBL com o Partido Novo e João Amoêdo, primeiro pré-candidato à presidência da república pela legenda de viés liberal

- Publicado no dia
Renan Santos (Foto: Reprodução / Facebook)

Considerado o principal estrategista do Movimento Brasil Livre, Renan Santos, coordenador nacional da entidade, comentou na noite da última sexta-feira (20) nas redes sociais sobre o relacionamento da entidade com o Partido Novo e a pré-candidatura de João Amoêdo à presidência.

Respondendo a um dos internautas sobre o por que de o MBL não apoiar o fundador do NOVO na disputa pelo Palácio do Planalto após a desistência de Flávio Rocha, Santos sentenciou: “Reciprocidade Diplomática. Mas nada contra”. A resposta deixou subentendido que o NOVO também não apoia as ações do MBL.

Em outro questionamento no Instagram, Santos foi instado a comentar sobre porque não há endosso ao NOVO em si. “Nosso modelo é diferente. Se fosse igual, estaríamos lá”, respondeu brevemente o ativista.


PUBLICIDADE



Na mesma noite, o vereador Fernando Holiday (DEM), eleito por São Paulo em 2016 com apenas 19 anos e um dos coordenadores da entidade, também respondeu a um questionamento sobre o NOVO e o por que de estar no DEM.

“O DEM-SP deu completa liberdade de atuação. O NOVO, apesar das concordâncias, tem muitas restrições”, respondeu Holiday, sem se alongar.

Em 2018, a principal aposta do MBL é na eleição de Kim Kataguiri e Arthur do Val, o “Mamãe Falei”, como, respectivamente, deputado federal e estadual por São Paulo. Ambos são estrelas nacionais do movimento e disputarão pelo DEM.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.