fbpx
PUBLICIDADE


Grupo analisa entrevista de Manuela D’avila e faz conclusão inesperada

Página “Caneta Desesquerdizadora” criou o conceito de “Saldo de Interrupções” para investigar se Manuela D’Avila foi mesmo a mais interrompida e descobriu que, na realidade, João Amoêdo superou a comunista

- Publicado no dia
Manoela D’Avila no centro do Roda Viva (Foto: Divulgação)

A página “Caneta Desesquerdizadora”, editada pelos mesmos criadores do Instituto Liberal de São Paulo (ILISP), publicou nesta quinta-feira (28) um vídeo com uma análise da participação de Manuela D’Avila (PC do B) no programa Roda Viva que foi ao ar na última segunda-feira (25). A conclusão, porém, foi inesperada. [1]

Segundo a metodologia utilizada pela página, que pretende se financiar para se tornar uma agência de fact-checking, Manuela D’Avila não foi a pré-candidata mais interrompida em suas explanações durante as sabatinas entre os presidenciáveis.

Ao contrário do que propagado por influenciadores de esquerda, que interpretaram que a atitude seria um reflexo machista, quem foi mais interrompido pelo programa foi um homem: João Amoêdo, do NOVO.

Com o conceito de “Saldo de Interrupções”, a “Caneta Desesquerdizadora” levou em consideração a diferença entre a quantidade de interrupções feitas pelos jornalistas pelo total de vezes que os próprios pré-candidatos interromperam a formulação das perguntas pelos entrevistadores convidados.

Nesse cenário, Manuela D’vila pontuaria apenas com 20 interrupções, pois enquanto foi interrompida 40 vezes, interrompeu seus entrevistadores em 20 momentos.


PUBLICIDADE



O pré-candidato do NOVO, por sua vez, que teve sua entrevista no ar no dia 21 de maio, foi interrompido 30 vezes e, segundo a página, interrompeu os jornalistas do Roda Viva apenas em duas oportunidades.

Além disso, durante a entrevista de Amoêdo, apenas uma entrevistadora, ligada à revista Carta Capital, teria consumido 11% do tempo do programa com longas e monótonas falas, prejudicando o direito de fala e explicação de Amoêdo sobre suas propostas. Assista a análise completa abaixo:

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.