PUBLICIDADE


Paulo Eduardo Martins diz que STF ‘pode destruir o que resta do Brasil’

O jornalista está indignado com as atitudes tomadas pelo STF nesta terça-feira (26) e acredita que os ministros pretendem “jogar o país às chamas”

- Publicado no dia
Paulo Eduardo Martins (Foto: Reprodução / Jornalivre)

A segunda turma do STF, apenas nesta terça-feira (26), determinou a soltura de José Dirceu e do ex-tesoureiro do PP, João Carlos Genu, bem como a anulação de provas que foram usadas contra Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo. As medidas provocaram grande irritação em movimentos e formadores de opinião, entre eles o jornalista Paulo Eduardo Martins. Ele resumiu: “o STF pode destruir o que resta do Brasil”.

Em transmissão ao vivo em sua página no Facebook, Martins disse que o Brasil não tem um verdadeiro Supremo Tribunal e a Suprema Corte “está disposta a jogar o país aos leões” e “às chamas”. Ele frisou que Dias Toffolli não participaria do julgamento da questão de Dirceu “se tivesse decência e compromisso com a magistratura”, tendo já sido advogado do petista.

Para Paulo Martins, tudo é uma preparação para soltar o ex-presidente Lula. “Esse espetáculo bizarro que foi essa sessão da segunda turma do STF para soltar José Dirceu é um ensaio para um ato maior, para no embalo dessa decisão suja, colocar Luís Inácio Lula da Silva nas ruas”. Para ele, a salvação do establishment político acuado pela Lava Jato e a permissão para que Lula concorra à presidência são o objetivo do STF, que estaria sequestrado por interesses políticos.

Na opinião de Martins, o STF está convidando o povo brasileiro “à revolta total”. Confira o vídeo completo:


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.