fbpx
PUBLICIDADE


Soviéticos cogitaram causar guerra civil no Brasil no início dos anos 1960, diz livro

Informação foi obtida pelos autores do livro “1964 – O Elo Perdido” por meio de pesquisas de documentos históricos da União Soviética e de países satélites sob influência direta da KGB

- Publicado no dia
Praça Vermelha, em Moscou. Ao fundo, o Kremlin, centro do poder político da União Soviética (Foto: Divulgação)

Em meio a entusiasmadas coberturas televisivas da Copa da Rússia, poucos veículos lembrarão que o país, enquanto União Soviética, investiu firmemente para influenciar a política e a história do Brasil. Durante o início dos anos 1960, no auge da Guerra Fria, até a hipótese de estimular uma guerra civil entre os brasileiros chegou a ser cogitada.

A revelação vem do livro 1964 – O Elo Perdido (Vide Editorial, 2017) e é destacada em reportagem recente do jornal El País. Com base em arquivos secretos da Tchecoslováquia, nação satélite da URSS cujo serviço de inteligência se reportava diretamente para a KGB em Moscou, os pesquisadores descobriram esse intento. [1]


PUBLICIDADE



Autores de “1964 – O Elo Perdido” foram atrás de documentos da União Soviética e países vizinhos para descobrir conexões dos comunistas para influenciar a política no Brasil – Clique para saber mais sobre o livro

Um documento datado de outubro de 1961 fazia menção a uma operação que tinha por objetivo causar tumultos e que poderia se desdobrar em um conflito de ordem civil:

“O camarada ministro confirmou a operação ativa I-V de criptônimo LUTA, cujo objetivo é causar demonstrações e tumultos antiamericanos e — em caso de seus surgimentos — causar uma guerra civil no Brasil. Um dos objetivos desta operação ativa é fazer com que representantes nacionalistas tomem o poder no Brasil”, dizia o texto.

Segundo reportagem do El País, a agência de inteligência do leste europeu se referia à Leonel Brizola e às Ligas Camponeses.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.